segunda-feira, 28 de julho de 2008

The X Factor (Iron Maiden)


Odiado por muitos, compreendido e apreciado por poucos, logo, esse disco lançado em 1995 não traz mais o vocal de Bruce Dickinson, que saira da banda para se dedicar única exclusivamente a sua carreira solo logo após o término da turnê do álbum antecessor o ótimo Fear of the Dark. Para substituí-lo "o patrão" e baixista do Iron Maiden Steve Harris propôs um concurso, ouviu muita gente, inclusive o brasileiro André Matos na época no Angra. Mas acabou escolhendo um tal Blaze Bayley de uma banda chamada Wolfsbane. Talvez o motivo da escolha talvez tenha sido querer trilhar um caminho diferente pois Blaze e Dickinson não tinham nada de comum em suas vozes e estilos no geral. Nesse ponto o Maiden encontra-se em uma nova fase, até Ed o mascote tão querido pelos fãs foi substituido além de que a entrada de Blaze na banda fez com que muita gente dentre fãs e criticos torcessem o nariz. A banda estava pressionada mesmo que os membros quisessem-na esconder. O resultado de todo o clima é um CD obscuro com climas densos e inovador de certa forma, Steve Harris é magnifico durante todo o CD, aliás o baixo incluse é peça fundamental da obra, além de boas composições como Sign of the Cross (a melhor), Lord of the Flies, Fortunes of War, 2 A. M., Blood on the World's Hands e The Edge of Darkness ainda manda excelentes e muito criativas linhas de baixo durante todo o CD. A banda por si própria da show em praticamente todo o CD como por exemplo o hit Man on the Edge com belos solos de Janick Gers e Dave Murray e ainda com a bateria de Nicko McBrain consisa e poderosa durante todo o disco, o porém fica por conta de Blaze Bayley. Blaze canta bem e até digo que se fosse um CD solo de Steve Harris a crítica seria boa, mas o CD era do Iron Maiden. Blaze não cantava bem as musicas de Dickinson ao vivo e não tinha nada a ver com o estilo da banda o que fez com que a crítica caisse em cima.
Indepêndentemente de críticas negativas esse é um grande CD, nenhum clássico é verdade, mas um bom trabalho feito pelo Iron Maiden musicalmente falando. Não é completo, não é o melhor mas é consistênte e bem trabalhado, apesar de Blaze Bayley não ter muito a ver com o estilo que já havia sido consolidado pelo Iron Maiden muito antes dele se tornar músico.
Set List:
1. Sign of the Cross
2. Lord of the Flies
3. Man on the Edge
4. Fortunes of War
5. Look for the Truth
6. The Aftermath
7. Judgement of Heaven
8. Blood on the World's Hands
9. The Edge of Darkness
10. 2 A. M.
11. The Unbeliever

Um comentário:

Matheus disse...

foi o primeiro album de metal que comprei, e me orgulho desta compra