terça-feira, 31 de março de 2009

E a vida continua...


Bom... com um dia de atraso mas antes tarde do que nunca.

Enfim pessoal, que corrida, que espatáculo, que começo de ano! talvez o melhor início de temporada que eu já tenha acompanhado, uma corrida emocionante e ao mesmo tempo muito surpreendente, e com grandes atuações.

Claro não podemos deixar de citar a Brawn que todos falavam que andaria atrás da Force India lá no final e chegamos a primeira corrida do ano e o time faz frente a todos. Mais do que pela corrida de Button podemos ver a superioridade pela corrida de Rubinho que correu sem o difusor (cortesia de Kovalainen na largada) e ainda assim chegou em 2º, verdade que seria 4º, mas não apaga a bela corrida de recuperação do brasileiro. Tudo caminha para que na Malásia mais uma vez ocorra um domínio da Brawn, já que não há tempo para que ninguém desenvolva nada de relevante em uma semana da Oceania para a Asia, o panorâma será o mesmo da Austrália o que mudo, e por sinal muda bastante, é o circuito.

Mas nem tudo foi um mar de rosas na corrida, primeiro a punição a Vettel por um acidente de corrida, que foi, verdadeiramente, causado por excesso de agressividade de ambas as partes, porém é uma corrida de carros certo? o minimo que se espera é que pilotos sejam agressivos na hora de defender e atacar, claro, isso é uma corrida onde para dar emoções precisamos de disputas. Imagine se todos apelassem para a estratégia de pit para ultrapassar, como seriam chatas as corridas, e mais até, Bernie Ecclestone queria tanto valorizar a vitória para que os pilotos não fossem conformistas e partissem para cima durante as provas e na hora que alguém é agressivo a FIA pune. Enfim veja o vídeo abaixo e tire suas conclusões:

Outra coisa foi a desclassificação de Trulli, Jarno saiu da pista há três voltas do fim, na penúltima curva, assim sendo, acredito eu, que o Safety Car já estava na pista no momento e o que ratifica mais ainda minha opinião é a passagem de Vettel cerca de dez segundos depois da saída de pista de Trulli no vídeo abaixo. Parece que Hamilton cedeu a posição a Trulli, por achar a mesma coisa assim fez ocorrer a desclassificação meio sem querer. Esse vídeo vai dar o que falar e para dizer a verdade vou dar outra olhada no video da corrida para tirar essa dúvida.



Enfim várias polêmicas, várias emoções a F1 começou em 2009 pegando fogo!!! que venha a Malásia!

domingo, 29 de março de 2009

Histórico


Há um mês atrás quem apostaria, ou melhor, pensaria numa coisa dessas? Enfim na época aquilo povoava meus pensamentos mais surreais, das fantasias que sempre minha cabeça promove antes dos mundiais, e hoje aconteceu... Button ganhou o GP da Austrália com Barrichello em 2º, uma dobradinha para uma equipe estreante na F1 moderna, a cara F1, a F1 das olígarquias, enfim o que presenciamos hoje foi algo histórico que será lembrado para sempre quando falarmos em feitos na F1, um intruso chegando e literalmente quebrando a banca.

Falando da corrida, Jenson Button ganhou com certa folga até, ganhou de ponta a ponta mas sempre com o 2º colocado a menos de 10 segundos. Pois bem, Jenson apenas forçou o necessário para ganhar, nada de querer impor vantagens astronômicas, e se quer saber, acho que o inglês tinha carro pra isso.

Rubinho foi 2º, salvo pelo gôngo, pois largou mal por conta de probleminhas com a seleção do câmbio e perdeu varias posições na largada, foi tocado por Kovalainen na primeira curva e bateu em Webber o que causou a confusão na 1ª curva. Com o bico avariado Rubinho tentou passar Raikkonen e bateu no finlandês. Trocou o bico no box e voltou para a prova, imprimiu bom ritmo e concseguiria um bom 4º lugar, mas graças a Vettel e Kubica que se enroscaram conseguiu novamente seu 2º lugar, completando o bom dia da Brawn.

Em 3º Hamilton, que ganhou a posição de Trulli com a desclassificação do italiano da Toyota, que aparentemente passou o inglês durante o Safety Car após uma saída de pista. E de fato acompanhando a corrida pelo Live Timing do site da F1 notei isso já que Hamilton passou a frente de Trulli na linha de chegada há 2 ou 3 voltas do fim.

Mas falando de Hamilton, honrou o emblema do tradicional time de Working no bico de seu carro, fez grande apresentação sendo combativo e fazendo corrida consistênte apesar de não ter aparecido tanto. Kovalainen ficou na 1ª curva depois da batida que envolveu, Barrichello, Webber, Sutil e Bourdais, levou o carro ao box mas sua suspensão havia se quebrado.

Trulli coitado... foi 3º mas foi desclassificado, uma pena, um 3º para quem havia largado de último, mostrando que a Toyota em corrida tem um bom carro. Seu companheiro Glock fez a honra da casa ficando em 4º com a desclassificação de Jarno, e depois bela disputa com a Alonso.

Falando do enrosco de Kubica com Vettel, aconteceu aquilo que o próprio Robert profetizou na pré-temporada, a dificuldade com a qual os pilotos teriam de se acostumar com a nova dimensão do spoiler. Nítidamente é possível notar pelas imagens, que faltou aos dois, além de bom senso, a referência do novo bico já que Kubica botou por fora de Vettel e fechou a curva sem querer em cima do spoiler do alemão, que por sinal também pelo jeito que forçou não se deu conta do bico maior. Enfim, a batida depois foi causada individualmente pela mesma coisa, afobação, e a falta de intimidade com a nova aerodinâmica já que com pouco downforce traseiro ficaria fácil bater sem o bico gigante que prendia bem o carro no chão. Sebastian pela batida foi considerado culpado e vai perder 10 posições no grid da Malásia.

Nelsinho fez mais uma vez uma apresentação pífia, a desculpa de freios frios é demais para mim, podia té estar, mas sabendo disso Piquetzito não deveria ter feito o que fez no roda a roda com Rosberg. Ele que se cuide já que Grosjean está lá pertinho, apareceu nas câmeras o fim de semana inteiro. Alonso honrou com bela atuação mesmo tendo se dado mal na primeira curva com a confusão chegou em 5º.

A Williams, corrida boa de Rosberg atrapalhada pelo excesso de desgaste do pneu macio que fez o alemão perder nada menos que 4 posições em uma volta, ficou no final em 7º (que virou 6°) por causa do Safety Car, senão Nico teria perdido mais posições. Já Nakajima errou sozinho e bateu na volta 17 provocando a 1ª entrada do Safety Car.

A Ferrari fez corrida apagada com Raikkonen, o finlandês errou bateu sozinho em certa parte da prova e sempre esteve apático, encostou no finzinho por conta de um problema no diferêncial. Massa fazia boa corrida até ser atrapalhado pela tática da Ferrari, mesmo assim chegaria em 4º não fosse seu problema de suspensão, uma pena para Felipe que perdeu assim pontos importantes.

Toro Rosso acabou fazendo boa corrida com o estreante Buemi em 7º e Bourdais, talvez o piloto mais apagado do fim de semana, em 8º. Lucro para o time B que mas uma vez começa o ano na frente do A, algo que provavelmente só durará até a próxima corrida, mas vá lá, uma conquista para Toro.

Enfim corrida histórica, além da dobradinha da Brawn ela entrará na história por ser a 2º corrida da história a acabar com Safety Car (1ª foi Canadá 1999). O que será na Malásia? a nova F1 mostrou-se muito boa em Melbourne, vamos semana que vem para o primeiro autódromo permanente e que segue mais ou menos a mesma linha dos "Tilkeficados", Sepang, lá teremos a noção exata de o quanto a F1 mudou e se as ultrapassagens foram ressucitadas.

Mudem os livros de história já... um capítulo importante foi contado hoje na Austrália.

sábado, 28 de março de 2009

Lembram?


Você riu quando viu isso, achou improvável, lembra?
e acontecerá hoje...

"New World Order"


E como foi profetizado durante a pré-temporada para quem acreditava em contos de fadas, a Brawn marcou a primeira fila do grid de largada para o GP da Austrália, com Button em 1º e Barrichello em 2º. Realmente uma grata surpresa, há uma nova hierarquia na F1, hierarquia liderada pelo novissimo BGP 001. Mas falando em classificação agora, acredito em Button mais leve que Barrichello, pois aparentemente Rubens não errou em sua última volta rápida, a qual tivemos a oportunidade de ver inteira. Button não só baixou o tempo de Rubinho como botou nada menos que 0.3s no carro do companheiro de equipe conquistando assim sua 4ª pole na carreira. Mas a Brawn se mostrou soberana todo o tempo, Barrichello fez o melhor tempo do fim de semana no Q2 sendo que no Q1 o brasileiro também liderou. Que carro é esse?!

Vettel em 3º, eu achava que a Red Bull não estava com nada pois havia ficado mais atrás nos treinos livres, porém o brilhante alemão Vettel desmentiu e fez um grande tempo na classificação de hoje. O que me deixa meio de pé atrás é o tempo do companheiro Webber, apenas em 10º (8º), pode ser que Sebastian esteja mais leve também, mas de qualquer forma bela classificação do alemão.

BMW com Kubica em 4º e Heidfeld apenas em 11°( que virou 9°). Analisando por ai, vemos que não há vantagem nenhuma por enquanto em usar o KERS, já que Robert não usa e Nick sim. Mais valia mesmo um carro no Q2 vazio e sem o KERS, do que vazio com o despositivo no carro, mesmo com a opção o tal "Boost" no meio da volta, o peso a mais fez a diferença.

Rosberg vem bem em 5º, ele que liderou todos os treinos. Nico deve fazer uma corrida consistente, e acredito que devemos ficar de olho nele, é um dos que pode vir a surpreender. Pena para a Williams foi classificação ruim de Nakajima, apenas em 13º (virou 11°).

Toyotas estariam bem no grid, em 6º com Glock e 8º com Trulli. Estariam, pois foram desclassificadas pela configuração da asa traseira ser ilegal segundo os padrões da FIA, relmente uma pena para os japoneses que podiam fazer boa coisa na prova.

A Ferrari, quem diria mesmo tentando andar tudo o que dava ficou em 7° (que virou 6°) com Massa e em 9º(que depois virou 7º) com Raikkonen. Ao que parece o time italiano não está perdido como a McLaren mas tem um longo caminho a percorrer se quiser o primeiro lugar.

Ah a McLaren, o que houve com eles? apenas 14º( que virou 12º) com Kovalainen e 18º com Hamilton que teve problemas em seu câmbio no Q2. Lewis largaria de último não fosse a desclassificação da Toyota, mas isso não tira o título de pior motor Mercedes do grid para Hamilton. E ao que parece Kovalainen está melhor adaptado ao MP4/24 do que Lewis, Kova ficou em todos os treinos a frente do inglês campeão do mundo que deve estar furioso com o desempenho do carro.

Nelsinho foi salvo pelo gôngo, vai largar em 14° que seria 17° em conções normais, uma posição agora mais perto de Alonso do que antes, o espanhol que largaria em 12° agora larga em 10°

Enfim as cartas estão embaralhadas como nunca antes, a F1 vê se desde muito tempo em uma situação onde a corrida está completamente indefinida e sem dono... a prova será imperdível!

Grid:
BUT BAR
VET KUB
ROS MAS
RAI WEB
HEI ALO
NAK KOV
BUE PIQ
FIS SUT
BOU HAM
GLO TRU

Duelo Piloto X Piloto:
McLaren: Hamilton 0X1 Kovalainen
Ferrari: Massa 1X0 Raikkonen
BMW: Kubica 1X0 Heidfeld
Renault: Alonso 1X0 Piquet
Toyota: Trulli 0X1 Glock
Toro Rosso: Bourdais 0X1 Buemi
Red Bull: Webber 0X1 Vettel
Williams: Rosberg 1X0 Nakajima
Force India: Sutil 0X1 Fisichella
Brawn: Button 1X0 Barrichello

sexta-feira, 27 de março de 2009

Enquetes encerradas


Pois bem, faz um tempinho mas a enquete que decidia se o grunge acabou com o rock terminou. E a maioria decidiu que o movimento enraizado em Seattle não acabou com o rock, 6 pessoas voltaram em não, 6 em talvez e dai surgiu o empate que falou pela voz do povo que o grunge foi apenas um movimento distinto do rock, mas com certas bandas que pendiam para o comercial. Claro, a menção dos 3 dos 15 votos que votaram em sim, realmente esse é um assunto muito polêmico, mas ainda fico com minha opinião. Com a dos vencedores, entre talvez e não...

Outra enquete que terminou foi a das pistas que você gostaria de tirar do calendário, e para minha surpresa Valência foi a mais votada com 15 das 43 pessoas votando em sua saída. Não acho que seja pra tanto pessoal, ainda acho o traçado espanhol interessante e só acho que a corrida do ano passado foi ruim pois foi criada demasiada expectativa em cima de acidentes e confusões, o que deixou os pilotos um pouco preocupados principalmente depois dos primeiros treinos, vendo o traçado da pista. Posso estar errado claro, o que não seria nenhuma novidade, mas acredito em uma boa corrida lá nesse ano.

Belo cenário, belas garotas... mas corrida boa, em 2008 passou longe
Depois veio Hungaroring com 13 votos, realmente uma das mais chatas. Em 3° lugar a finada Magny-Cours que teve 10 votos, sua saída com calendário foi muito boa. Menos uma pista chata que nunca teve boas corridas. Xangai e Sepang ficaram em 4º com 9 cada uma, duas pistas que eu gosto para dizer a verdade pessoal, Xangai mais que Sepang, mas por hora não queria vê-las fora do calendário. Em 5º com 7 votos Barcelona e Suzuka para o meu espanto, uma pista que considero das melhores da história da F1, confesso que não entendi. Barcelona é mais compreensivel, pista que não tem pontos de ultrapassagem, mas que curiosamente tem proporcionado boas corridas nos últimos anos.

Enfim, muito obrigado pessoal pelos votos e a participação. Isso é realmente muito gratificante e faz agente continuar e lutar para melhor o que faz... Valeu!!
P.S.: já já o treino... e mando uma sugestão para ouvir até lá... No More Mr. Nice Guy cover do Alice Cooper feito pelo Megadeth em 1988 mas apenas lançado em 1995. Opinião minha, bem melhor que a original! veja só:

Surpresa até demais...


Pois bem, com a marca de 1:26.053 Nico Rosberg (quem diria!) fez o melhor tempo da sexta-feira, baixando assim em mais de 0.5s a pole de Hamilton do ano passado. Teoricamente os carros ainda não estão com o set up de classificação extremo como vão estar por exemplo, no Q2 de logo mais, mas esse tempo diz muito sobre o que o pneu slick pode trazer em beneficio da performance, praticamente anulando a falta de downforce traseiro e o excesso de arrasto diânteiro.

Mas algo muito interessante que tive a oportunidade de ver ontem durante os treinos, foi o quanto a traseira dos carros está nervosa, algo que causou varias saídas de pista e a rodada de Nelsinho no primeiro treino. É visivel a dificuldade dos pilotos na câmera on-board, a dirigibilidade dos carros está bem complicada pelo pequeno aerofolio traseiro. O fator humano que os românticos tanto falavam e nostalgeavam pode estar de volta.

Mas falando da classificação, uma gratíssima surpresa a Williams em 1°, e ainda, na minha opinião pelo menos, convencendo de que tem um carro bom, já que Rosberg foi o 1º nos dois treinos e Nakajima sempre na espreita sendo o 2° no primeiro e 7º no segundo.

A Brawn mais uma vez foi destaque com Rubinho em 2º no treino da tarde e Button em 5°. Não me surpreenderia em vê-los na pole tão quanto o que disse ontem do Q3, é equipe para brigar pela vitória certamente, que legal! A tempo, está já quase confirmado de que os carros contarão com o patrocínio da Virgin (isso ai, aquela empresa que quase co,pro seu espólio). Toyota também vem bem, ou seja, o tal do difusor é uma arma letal e que pode vir a decidir inclusive o mundial em seu começo pela vantagem que estas equipes botam em cima das outras sem o difusor.

A Ferrari ainda está na defensiva, acredito que só irá partir pra cima na classificação mesmo, já que os termpos de Massa e Kimi com pneus duros foram classificados em 10º e 11º respectivamente, muito pouco para o time italiano.

A McLaren ao que indica parece estar mal mesmo, que o diga Hamilton que ficou em 18º(!!!) e jamais esteve entre os primeiros, seu companheiro Kovalainen na primeira sessão foi o 5º e na segunda ficou uma posição a frente de Lewis, melhor para o finlandês por enquanto.

BMW por enquanto discreta, assim como no ano passado só devem se revelar no sábado. Kubica foi 15º e Heidfeld 16º. Importante dizer que Nick vai correr de KERS e Robert não, exatamente pelo fato de Nick ser bem mais leve.

Nelsinho foi outra decepção, rodou e não conseguiu bons tempos, tá certo que a Renault não é aquele carro, mas Piquet com relação a Alonso ficou devendo.

Enfim... muita ansiedade, muita espera, muita coca-cola e muito Thrash Metal até o treino de logo mais pessoal! promete ser bem emocionante e revelador... realmente, novos tempos que começam apartir desse fim de semana na Austrália...

quinta-feira, 26 de março de 2009

Expectativas para Melbourne

Por fim pessoal... a primeira prova do ano chegando, na Austrália em Melbourne que desde que entrou no calendário em 1996 é palco da prova inaugural do mundial, a exceção apenas de 2006 no qual foi a 3ª do ano. Prova que no ano passado foi vencida por Lewis Hamilton em 1h34:50.616 , com a intervenção de dois Safety Cars durante a prova, que aliás é sempre marca registrada de Melbourne pois em 13 provas lá tivemos em 7 sua presença pelo menos uma vez. O ano passado ainda guardou outra surpresa, apenas 7 carros completaram a prova dos 22 que largaram, e desses 7 Barrichello acabou sendo desclassificado por ter saído dos pits em luz vermelha.


Circuito de Melbourne que tem em sua extenção 5.303 metros, prova que vai ter 58 voltas. A pista por sua vez tem um desenho bem peculiar no sentido de 3 pontos terem o desenho muito parecido, nas curvas 1 e 2, 6 e 7 e 9 e 10, onde há uma freiada forte seguida de uma curva aberta para a recuperação da velocidade. Velocidade, que é algo bem valorizado em Melbourne, juntamente aos freios que tem papel importante pois são muitas as freiadas fortes antecedidas de retas grandes no circuito, o que faz os freios sofrerem um pouco mais que em outras pistas. Um ponto interessante também na pista são as curvas 11 e 12, onde o "G" varia entre 4.04 e 4.52 aos 230km/h, bem impressionante.

Veja o desenho da pista:


O que esperar dos pilotos e carros apenas se baseando nos testes de inverno? Esperar o que aconteceu nos testes, mas, claro, com ligeiros contrastes. Por exemplo, a Brawn está tão na frente quanto parece? A McLaren está tão ruim assim? BMW e Toyota, gratas surpresas? E a Ferrari, tem um carro confiável? não creio que dê para responder essas perguntas com certeza, mas acredito eu aqui que a Ferrari deva prevalecer. Como já disse por aqui, foi a que ficou mais quieta durante os testes, talvez escondendo o jogo, e agora pode entrar com um bom pacote e surpreender.


A Brawn é incógnita, mas acredito nos 2 carros no Q3 no treino de amanhã pelo menos, daí pra frente seria sonhar muito para agora, já que não vimos eles competindo em situação real, e não ficaria tão surpreso se os visse andando em 7º ou 8º, tudo bem que o entusiasmo de Barrichello e Button é grande, mas por hora fico com o pé atrás. A McLaren deve ser ao que tudo indica a grande surpresa negativa, mas não acredito que fiquem tão para trás assim, tem potêncial e Hamilton para brigarem por uma reação durante o fim de semana, e vale dizer que em pistas com essas características no ano passado (Austrália, Montreal, Mônaco) o time de Working tinha um bom carro.


Na BMW acredito em uma força da qual não sei exatamente a dimensão, pode estar ai uma variavel interessante da prova, assim como na Toyota, uma força que não sabemos ainda se vingará.


Emfim, a lista de ingredientes está ai, vejamos o que sai do forno domingo, certamente algo imperdível!

quarta-feira, 25 de março de 2009

Aquecimentos...


Pois bem, amanhã já estaremos acompanhando os primeiros treinos livres para a temporada 2009, até que enfim, depois de muito tempo e muitas novelas, show de horror para mim que, por exemplo, odeio "Soup Operas". Amanhã é o dia que, como de praxe, boto minhas espectativas para as corridas, sempre ás quintas-feiras antes dos GPs.

Interessante que nesse ano a corrida e o treino começam ás 3 da manhã, mais ou menos no horário que acabou a corrida do ano passado, ás 17 horas locais. O legal é olhar a posição do sol na hora, vejam:



Sol típico do crepúsculo (por favor, não confunda com o livro) ou o mais conhecido fim da tarde, quando o sol já está para se esconder atrás do horizonte. Mas isso me leva a uma pergunta, será que quando a corrida terminar já estaremos noite a dentro? não sei, mais que vai ser bem legal corrida nessas condições vai ser, vale lembrar que os raios de sol não vão atrapalhar os pilotos, pois como percebe-se ao ver as viseiras dos capacetes de hoje em dia há aquela película protetora de raios de sol, tal como um óculos escuro.

Essa é a primeira vez que a F1 corre em fim de tarde. Ou melhor serão as primeiras vezes, pois o GP da Malásia também vai ocorrer nessa parte do dia, ás 17:00 horas locais, mas sua realização ocorrerá aqui no Brasil ás 6:00 da matina assim como o treino, hehehe, se você achou que descansaria no fim de semana estava redondamente enganado... hahaha...

A curiosidade é que o limite do pit lane durante a corrida sofreu reajuste, digamos assim, para os 100 Km/h em lugar dos 80Km/h do ano passado, nos treinos continua valendo os 60Km/h habituais, resta saber ainda se isso é uma imposição para toda a temporada ou só para essa prova.

Mas então, pra adentrar ao clima da "Land Down Under", 3 músicas de 3 bandas australianas, confira ai:



Down Under do Men At Work, essa não poderia faltar a coletânia, música de australianos feitos para sua terra natal. Se a letra já é engraçadissima o clipe por si só completa a coisa toda, e a música vamos combinar, não se trata de nenhuma exibição primorosa nenhum instrumento, mas é contagiante em sua batida e sua guitarra é algo primoroso e muito bem feito, na minha opinião das melhores que existem.




Freak do Silverchair, que não é uma das melhores bandas de grunge na minha opinião, mas é australiana. Enfim essa é minha favorita deles, e essa versão do Rock in Rio de 2001 é melhor na minha opinião do que a original. Destaque para o vocal de Daniel Johns, bem maleável e até um pouco surreal, vale a pena conferir.


Thunderstruck do nossos australianos favoritos, o AC/DC. Esse na minha opinião é o clipe mais legal da banda fora que tem dos melhores riffs da carreira dos australianos, bem consistênte. Sem palavras, bela música, de um belo disco, Razor's Edge, ainda irei adquiri-lo!

O link para ver é esse. (Não postei o video aqui pois em TODOS os usuarios que procurei no Youtube a incorporação havia sido desabilitada... realmente algo nada simpático por parte da gravadora.)

Amanhã as espectativas!

terça-feira, 24 de março de 2009

Teste seus conhecimentos "Barrichellisticos"


No UOL esportes, está rolando um teste bem legal sobre a carreira de Rubens Barrichello, o link para jogar é esse aqui.

Quanto tirei? hmmm, então galera... hehehehe... vamo fala de outra coisa? huhuhuhu. Brincadeirinha, foi 14, só errei a da volta mais rápida e só porque nessa corrida, se não me falha a memória, Rubinho largou lá atrás e tentando se recuperar bateu com o Coulthard... por sinal a corrida em questão foi a primeira que eliminei...

Enfim, tentem fazer e falem quanto tiraram nos comentários... não vale colar nem mentir hein!!

segunda-feira, 23 de março de 2009

Vale a pena ver de novo - GP da Austrália 1989


Aquecimento para Melbourne, hoje viajamos 20 anos no tempo(ou nem isso pois na época Adelaide era a última corrida do mundial)para o GP da Austrália em 1989.

A F1 chegava a Adelaide em 1989. O campeonato já estava decidido, Prost havia confirmado seu título na corrida anterior, o polêmico GP do Japão no qual ele e Senna bateram há 7 voltas do fim na chicane "Triangle". Prost abandonou, mas Senna precisando da vitória para levar a decisão para a Austrália continuou dentro de seu carro, assim sendo foi empurrado pelos fiscais de pista pela área de escape da qual o uso era (ou pelo menos ficou sendo após a corrida) ilegal. Enfim, Senna ganhou a prova e foi desclassificado depois.

Nos treinos Senna marcou o melhor tempo, lavando a alma a frente do campeão do mundo Prost, o 2º colocado. A surpresa do grid ficava por conta da Minardi, sim o time italiano registrou nessa corrida seu melhor grid na história com Pierluigi Martini largando em uma excelênte 3ª posição. O 4º foi o também italiano Nannini, que havia ganho o GP do Japão, o 5º Boutsen e o 6º colocado Patrese. A prova marcava a despedida de 3 pilotos ícones dos anos 80 na F1: largando em 21º com sua Osella o italiano Piercarlo Ghinzani na F1 desde 1981, largando em 22º o americano Eddie Cheever, cuja carreira na F1 incluia uma passagem na Renault, e também o mais famoso dos 3, o francês Rene Arnoux, ex-Ferrari e ex-Renault agonizando com sua Ligier a 26ª e última posição de largada.

Nos treinos, céu azul praticamente sem nuvens... o tempo seria o fator mór do fim de semana, mudando completamente para a corrida
Depois de 2 dias de céu azul em Adelaide o domingo amanheceu nublado e com muita chuva. Era chegada a hora da largada a chuva continuava forte e pilotos como Prost, Boutsen, Piquet, Nannini, Berger e Mansell pediam pra que a largada fosse adiada esperando que a chuva parasse ou diminuisse, porém a volta de apresentação acontece na hora certa, pontualmente ás 13 horas locais, sendo assim varios pilotos não estavam ainda em seus carros quando a volta de apresentação foi iníciada por Ayrton Senna, que em contraste a todos nem se deu o trabalho de sair do carro para pedir o adiamento, ao contrário, ficou o tempo inteiro de capacete sem falar com ninguém olhando fixamente para o horizonte, logicamente devia estar muito bravo com o ocorrido no Japão e nervoso com o dirigente Balestre que estava cassando sua super-licença. Prost já avisava antes, desistiria da prova.

Senna ia chegando no grid liderando nada mais que 12 dos 26 carros, os únicos que sairam para a volta de apresentação pontualmente. Sendo assim a largada é dada com 12 carros em suas posições originais e o resto tentando chegar ao grid. Sendo assim a luz verde é acendida e a largada acontece. Prost tenta sair a frente, mas Senna sem nada a perder joga seu carro em cima de Prost antes da primeira curva e entra na frente. Ao fim da primeira volta Prost vai para o box e desiste da prova por não concordar com a direção de prova e também claro por não precisar correr. Enfim Senna era 1º, Nannini 2º, De Cesaris 3º e Martini 4º. Varios carros já iam rodando como Modena, Piquet, Arnoux, Grouillard e Lehto. Sendo assim a prova é paralisada na segunda volta.


Todos voltam ao grid e a corrida seria recomeçada desde o início. Mas Prost não estava disposto a correr sendo assim é o único que não alinha.


Enfim, uma nova largada é dada exceto para Prost, e Larini que logo depois da volta de apresentação pára sua Osella na última curva da pista com problemas elétricos. Na largada Senna pula novamente na frente mas com direito a uma bela largada de Martini que é 2º, mais atrás Nakajima roda sua Lotus e cai de 22º para último. Ao fim da 1ª volta Senna lidera já com mais de 5s a frente de Martini, Boutsen, Patrese, Nannini e mais atrás De Cesaris.


Na volta 3 depois de muita pressão por parte de Boutsen, Martini cede e é ultrapassado não só por ele como também por Patrese, sendo assim cai para 4º. Na volta 4 a carreira de Arnoux acaba em uma colisão no hairpin de Adelaide. Volta 6 e mais problemas, dessa vez foi Berger que havia largado com sua Ferrari em uma horrorosa 14ª posição no grid tentar passar pela na Lola de Alliot sem sucesso, assim sendo toca no francês e sem conseguir desviar quebra sua suspensão diânteira esquerda no bico da Lola, os dois ficam fora.


Na volta 7 é a vez de Warwick perder o controle de sua Arrows e bater no muro. Na volta 10 a diferênça entre Senna e Boutsen já era de 27 segundos e ia crescendo, já o belga era pressionado pelo companheiro de Williams Riccardo Patrese, que o ultrapassa no hairpin, porém antes que o italiano possa começar a abrir ele erra na penúltima curva do circuito e perde a posição novamente para Boutsen. No mesmo momento Mansell roda em 360º em cima da zebra da curva que antecede o retão mas concegue continuar. Na volta seguinte a chuva que não diminuia fazia uma vítima inusitada, Ayrton Senna que continuava a andar forte ultrapassando retardatários. Se aproximando da última curva o brasileiro roda dando um 540° na pista e por muita sorte não sai da pista, sendo assim continua na prova e em 1º já que sua diferença era grande.

Por duas voltas seguidas De Cesaris roda na curva que dá acesso ao retão, na segunda rodada o italiano bate no muro e fura um pneu o que faz com que ele ao fim da volta tente entrar no box, ao mesmo tempo Senna chega a Brabham de Martin Brundle, o 10º colocado, na pista para dar-lhe a primeira volta, porém antes que pudesse avistar o carro do inglês Ayrton é cegado pelo spray do carro da frente que em Adelaide, sendo um circuito de rua era o ponto critico onde o mesmo não se dissipa muito bem. Sendo assim não enxergando nada Senna enche a traseira do carro da Brabham que vinha bem mais lenta que sua McLaren. Desse modo o carro do brasileiro vira um tricículo e Brundle perde a asa traseira, sendo assim abandonam ao chegar ao box. Box que era para onde queria ir De Cesaris após sua batida, porém antes disso sua Dallara com o pneu direito traseiro furado roda e deixa Andrea preso na zebra por fora da curva. Ainda na mesma volta seu companheiro Caffi roda na mesma curva que De Cesaris e Mansell já haviam rodado, mas o italiano não tem a mesma sorte e acaba batendo no muro e abandonando a prova.

Na volta 14 já tinhamos apenas 14 carros na corrida e Boutsen era o líder com Patrese atrás, Nannini 3º, Mansell 4º, Martini 5º e Eddie Cheever em grande corrida em 6º. Na volta 16 Patrese é ultrapassado por Nannini e Mansell sendo assim cai para o 4° lugar. Mais problemas na volta 17 quando Mansell erra no impeto de chegar em Nannini, roda, bate sua Ferrari e abandona a corrida saindo irritadíssimo do carro, já que o inglês era o piloto mais rápido da pista no momento.

Nannini: corrida consistente premiada com pódio
Na volta 20 Boutsen ainda era 1º com Nannini 2º, Patrese 3º, Cheever subindo na classificação em 4º, Nakajima voando também em 5° e Lehto o piloto mais jovem do grid com sua Onyx em 6º. Na mesma volta o 8º colocado Piquet chegava em Martini para passa-lo pelo 7º lugar, sendo assim no final do retão bota seu carro por dentro para enxergar mais a frente porém assim como Senna fora traído pelo spray vindo de outro carro na frente Nelson acaba batendo na Osella de Ghinzani sem ver nada, jogando o italiano no muro do outro lado da pista, e ainda depois derrapando para a área de escape. a Lotus de Nelson por muito pouco não bate também na Minardi de Martini que continuava fazendo seu traçado. Ghinzani e Piquet abandonam, e Piercarlo em sua última corrida sai de seu carro mancando.

A Osella de Ghinzani é retirada
Na volta 27 um azarado Lehto é obrigado a abandonar sua 6ª posição por problemas elétricos em sua Onyx, um pontinho que poderia livrar a equipe da pré-qualificação em 1990. Apartir daí tinhamos apenas 9 carros na pista e a chuva continuava a não diminuir e mesmo assim a corrida continuava. Todos os pilotos ainda na pista vendo o que acontecia, começaram a se poupar e andar menos para chegar ao fim da corrida, pois afinal, tudo isso que aconteceu até aqui havia ocorrido em menos de uma hora das duas de prova. Desse modo a prova acaba ficando morna em sua parte final.

Até a volta 42 nada ocorria na corrida até que Cheever aquaplana, roda e deixa seu motor apagar, assim sendo é mais um fora da prova. No mesmo momento em que Pirro confirmando o bom dia da Benetton vai pra cima de Martini e o ultrapassa pelo 5º lugar na classificação, seus primeiros pontos na carreira em sua última corrida na Benetton.

Desse modo com 70 voltas completadas das 81 programadas a direção de prova resolve acabar o GP pois esgotava-se o tempo limite de 2 horas de corrida, sendo assim Thierry Boutsen ganha seu segundo GP na carreira, em ocasião muito parecida a de seu primeiro trunfo, no Canadá no mesmo ano, pois o belga era o 2º em uma corrida chuvosa quando Senna que era 1º e quebrou seu carro.

Nakajima: talvez sua melhor apresentação da carreira
Assim o belga acaba o ano em 5º no campeonato. Mesmo não tendo ganho nenhuma corrida no ano Patrese acaba o ano na frente de Boutsen em 3° e Nannini que chegara em 2º manteve-se em 6° na classificação geral. Nakajima depois de bela apresentação, saindo depois de uma rodada na primeira curva de 25°(lembre-se de que Prost não alinhou) para 4° no fim, somou ainda por cima a volta mais rápida do GP, sua única na carreira.

Veja o resultado da prova depois das 2h/70 voltas:

1. 5 Thierry Boutsen/Williams-Renault/2:00'17.421
2. 19 Alessandro Nannini/Benetton-Ford/+ 28.658
3. 6 Riccardo Patrese/Williams-Renault/+ 37.683
4. 12 Satoru Nakajima/Lotus-Judd/+ 42.331
5. 20 Emanuele Pirro/Benetton-Ford/+ 2 voltas
6. 23 Pierluigi Martini/Minardi-Ford/+ 3 voltas
7. 15 Mauricio Gugelmin/March-Judd/+ 4 voltas
8. 8 Stefano Modena/Brabham-Judd/+ 6 voltas

Volta mais rápida: Satoru Nakajima 1:38.480

Melhores momentos:




sexta-feira, 20 de março de 2009

YEAH! YYYYYYYrá!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Voltaram atrás!!!!

Ainda bem que eu estava errado quando escrevi o post abaixo. Pelo jeito a FIA leva mesmo a sério o que a FOTA diz e pensa. Digo isso pois fazendo o que fez na terça-feira pareceu que não ligava muito para o que achavam e nem para o que pensavam.

Enfim a pressão politica foi forte, tão forte que Mosley e Ecclestone tiveram que ceder. Segundo o Apêndice 5, Artigo 199 do regulamento, a FIA não pode tomar decisões como essa em cima da hora sem apoio unânime das equipes, o que no caso, houve, apenas Briatore queria a mudança. Só assim mesmo pois, voltar atrás é uma coisa que quem entende e acompanha a F1 sabe que não é todo dia que a FIA faz. Mas dessa vez foi, o que poderia acabar com nosso ano está definitivamente fora de questão, para esse ano pelo menos... pois os cartolas ainda não desistiram da idéia e pretendem coloda-lá em prática na próxima temporada, mas muitas pedras ainda vão rolar até lá e tudo pode acontecer.

Por hora estamos livres (não esqueçam de agradecer a papai do céu nessa noite!!) do regulamento, o problema fica para depois.

Ninguém quer...


As reações a mudança no modo de como teremos o campeão de 2009 está gerando rebuliço total, e todas as pessoas de fora da cúpula da FIA querem sua mudança imediata. Nesse caso não falamos apenas dos fãs, mas também da FOTA, e todos os pilotos que vieram a público se manifestar foram altamente contra a mudança, nomes de peso com Schumacher, Massa, Alonso e Barrichello não gostam de idéia. Hamilton se juntou a eles hoje e considera tudo uma vergonha: "Acho que é uma vergonha o que está acontecendo com a F-1. É difícil de acreditar que essas decisões recentes melhorarão algo para os espectadores das arquibancadas e da TV, que devem ser sempre nossa prioridade. Acho que temos de esperar para ver".
De fato uma coisa a FIA nunca fez muito foi ouvir equipes e pilotos na hora de sentar e mudar as regras. A FOTA propôs uma nova pontuação semana passada e 3 dias depois Max Mosley vem com essa idéia incabivel de que para ser campeão o piloto tem que ter mais vitórias que o outro mesmo tendo menos pontos. Não há o que pensar nessa história senão que essas mudanças de última hora foram além de tudo uma alfinetada política na FOTA, mandando um recado como: "- vocês só correm" ou "- Aqui mandamos nós!". Seria algo terrivel se F1 começasse um ano que prometia tanto em pé de guerra por causa de cartolas poderosos que querem fazer dela seus próprios umbigos nojentos.

De fato nunca se mudou regras tão drásticamente faltando uma semana e meia para o começo do mundial, realmente parece que queriam que não houvesse tempo para reação, pois se isso viesse em Dezembro eu duvido que não haveriam protestos de diversas partes e tantas pressões que a FIA acabaria cedendo. Mas como fizeram isso nessa semana há pouco tempo para diplomáticamente discutir uma mudança nas regras. A FOTA hoje liberou um comunicado no qual se diz insatisfeita com as mudanças, e que não houve unanimidade na hora de fazer o regulamento de 2009, algo que feriria o código esportivo internacional. O único chefe de equipe que se posicionou a favor das mudanças foi Flávio Briatore, que é "chapa" desde muito tempo, de Bernie Ecclestone, ou seja tem um pé na FIA, e dificilmente seria contra algo que viesse de seu amiguinho poderoso.

Mas de qualquer forma eu ainda acredito que mesmo com forte oposição o regulamento será esse mesmo semana que vem(!!!) lá em Melbourne. Como disse, há pouco tempo para diplomáticamente resolver tudo e a FIA em sua história nunca deu muito ouvidos a ninguém na hora de mudar o regulamentos e circuitos. E muito menos aos fãs que são quem faz a categoria ser o que é mundialmente... realmente uma pena...

terça-feira, 17 de março de 2009

Do vinho para a água


E a FIA mais uma vez apronta das suas... lembram do sistema de medalhas do velho gagá Bernie Ecclestone em Dezembro propôs e acabou desistindo? pois bem... Max Mosley levou a idéia adiante mas piorando aquilo o que era impossível de ser piorado instituindo hoje um sistema parecido com aquele proposto. Agora para ser campeão valerá o número de vitórias obtidas ao longo do ano, pois bem, a regularidade está estagnada a ser mero critério de desempate. A regularidade que fez Nelson Piquet campeão 3 vezes, a regularidade que fez Hamilton campeão ano passado, está abolida.

Verdade é que existem dois lados, o primeiro: Se realmente a F1 vier a ficar mais junta, como as regras aerodinâmicas tem o intuito de fazer, pode fazer ALGUMAS corridas ficarem mais legais, principalmente no começo do ano.

Agora a outra face: Em corridas que alguém disparar na frente, ou se tivermos uma equipe que tenha o melhor carro perante as outras em certa altura do mundial a F1 ficará altamente monótona. Quem disputará as corridas do 2° ou 3° lugar para trás, vai ficar muito acomodado, principalmente se tiver um carro que consiga ganhar algumas corridas no ano para frente, pois estará lutando nesses casos, por porcaria nenhuma. Ganhará no fim das contas o melhor carro não o piloto mais consistente e completo.

Se alguém do grupo da frente tiver problemas na classificação por exemplo, pode desistir da corrida para poupar o equipamento para a próxima prova, onde terá maiores chances de ganhar. Isso privilegiará demais o jogo de equipe abolido depois daqueles episódios de 2001/2002 na Austria, pois imagine se por exemplo em uma corrida no meio do mundial Kovalainen estivesse em 1º com Hamilton em 2º, esse seria além dos dois pontos tradicionais um belo motivo para que Kova encostasse seu carro para que Lewis ganhasse a prova, isso é, no caso de pontuação ainda poderiam abrir consseções (afinal seriam apenas 2 pontos), mas nesse caso por exemplo Hamilton teria de ganhar no jogo de equipe pois essa seria uma vitória em 16, não podendo ser descartada.

Enfim, os pontos tradicionais (10 1º-8 2º-6-5-4-3-2-1) continuarão a ser computados aos que não ganharem provas. Mas essa muidança pode transformar aquilo que podia ser uma temporada belíssima em porcaria fazendo um título ser decidido com 3 ou 4 provas de antecedência. Será que eles não gostaram de como foi o campeonato do ano passado? ou o de 2007? os quais tivemos decisões apertadas em corridas emocionantes.

Realmente um sistema ridículo bolado por dois homens que deviam estar fora da FIA faz tempo. Defendo ainda a tese que foi defendida pelo nosso amigo Speeder_76 em uma coluna opinativa, a FIA precisa de "Obamas" no sentido de inovar em sua cúpula. Parabéns Max, parabéns Bernie, vocês acabaram com o meu dia! (tenho certeza de que não foi só com o meu...) vão pasta!

segunda-feira, 16 de março de 2009

Para gostar de Iron Maiden (Volume 10 + Bonus)

Para acabar o quadro olho na hora! 23:58:


2 Minutes to Midnight lançada em 1984 como 2ª faixa daquele que é pra mim o melhor disco do Iron Maiden o Powerslave. Essa junto com The Number of the Beast foram as prmeiras músicas que ouvi do Maiden, que me fizeram apaixonar-me pela banda em questão. A música contém um dos melhores riffs de introdução da banda e um refrão cujos vocais são extrememente bem trabalhados, mas ainda na minha opnião perdendo para Aces High, claro. Música que também é um dos porques do qual Adrian Smith é meu guitarrista favorito do Maiden, o detalhe vai para a segunda parte do solo antes da parte instrumental, talvez o melhor no quesito feeling contra-balanceado com a velocidade de Murray.

Acabou sobrando uma das quais queria botar, mas como regras são feitas para serem quebradas e sou eu que mando aqui teremos uma "Bonus Track":


Sign of the Cross lançada em 1995 no disco The X Factor que contava com Blaze Bayley nos vocais do Maiden, porém ai é cantadan por Bruce Dickinson no último show de sua turnê de volta ao Iron Maiden no Rock in Rio de 2001. Na minha opinião o melhor instrumental de toda a história do Maiden. Desde o 2º refrão até a volta ao 3º a música é algo inexplicavel de tão Gênial, salve salve Steve Harris!!

Mas enfim, Blaze Bayley é um assunto delicado, não era ruim cantando músicas como essa ao vivo e sim cantando músicas de Bruce Dickinson das quais observando as gravações chega a dar vergonha alheia. Não por culpa dele, Steve Harris não devia estar muito bem da cabeça com a morte do pai nessa época, acabou escolhendo um vocalista que não tinha nada a ver com o estilo da banda. De qualquer forma Sign of the Cross é um sonzasso, longo, mas pra quem gosta de música esse é o menor dos problemas (que problema?!) no som, que se mantém tenso desde seu começo, com um trechinho de música sacra para então começar a música. Vale dizer que Sign of the Cross foi inspirada no filme "O nome da Rosa"(vale a dica do belo filme também!) estrelado por Sean Connery em 1986. Basta ver o filme para ver que Steve conseguiu transformar todo aquele clima de tensão e falta de vida em música, e das mais belas.

Pois bem pessoal, chegamos ao fim, espero que tenham gostado (eu A-DO-REI!) de viajar pela história do Iron Maiden comigo nessas 11 músicas, que como diz no título dos posts podem fazer de alguém que nunca ouviu metal e principalmente Iron Maiden começar a curtir o estilo, ou ao menos respeitar e para de falar que metal é só gritaria.

Enfim espero ter ajudado e divertido a todos!! Abraço!

Iron Maiden - 15/3/2009


E exatamente um ano e duas semanas depois de seu último show em São Paulo, no qual prometeram que voltariam no ano seguinte trazendo seu show completo com fogos, explosões e efeitos especiais diversos, eis que os mesmos cumprem sua promessa e voltam ao Brasil para uma longa estadia em terras tupiniquins, fazendo nada menos que 6 shows. Sabendo da gradiosidade do show varios fãs vindos de todos os lugares de São Paulo fretaram ônibus, vieram de carro, enfim queriam estar presentes naquilo que foi um show histórico para o Iron Maiden e para todos nós.

Antes de entrar no autódromo de Interlagos já era possível criar a dimensão da apresentação, filas quilométricas (não, não é uma força de expressão) chegavam a ser mais longas que o próprio quarteirão do autódromo de Interlagos, sendo assim segundo relatos, o fim da fila chegou a ser no começo.

Porém, nem tudo é festa, eis que para adentrar o autódromo era preciso andar em um zique-zaque infernal para enfim ser revistado. Até ai tudo bem, porém quando se adentrava contatava-se que a organização não havia colocado tablado na grama para que as pessoas da pista não ficassem sobre a grama, o que em caso de chuva extremamente forte ajudaria o lugar não virar um chiqueiro, o que aconteceu. Partes da pista que estavam na grama após a descida do lago foram absolutamentes tomadas pelo barro, que mais parecia em alguns casos uma areia movediça, ou um pantano onde só de pisar seu tênis ia definitivamente para o brejo.
Fora ainda as proteções de metal colocadas em volta da pista que não seguraram o impeto de alguns fãs que não tinha lugares bons na pista e resolveram quebra-las para subir o morro e ficar sentados no muro da curva do Pinheirinho. Normal, o problema é que aparentemente não havia nenhum segurança para tira-los de lá e controlar a multidão. Se alguém passou mal lá ontem se deu bem mal. Pior que a falta de estrutura antes e durante o show foi depois dele, na saída. Para quem estava mais perto da grade foi em média de 1h a uma 1h 30min para sair do autódromo já que sua saída ao invés de ser aberta era um funil, e detalhe essa era a saída de emergência (que segurança...oh!).

Problemas a parte, vamos ao que interessa.... O SHOW!

Ás 19:00 em ponto eis que a filha de Steve Harris, Lauren, entra no palco. A exemplo do ano passado seu show mais uma vez teve repercussão horrorosa perante aos fãs do Maiden, já na primeira parada entre as músicas os fãs já começaram coro pedindo a presença do Iron Maiden. Muita gente prestou mais atenção em um gordinho que cismava em pular na lama do que em sua apresentação. O destaque do show da mini-Harris com certeza foi seu guitarrista Richie Faulkner, aspirante a Zakk Wylde, que toca guitarra tão bem quanto o próprio, realmente um excelênte músico de presença de palco e técnica irretocáveis.

Mas eis que com uma hora de atraso exatamente ás 21:01 Doctor, Doctor do UFO começa a tocar. Logo após as luzes se apagam e um vídeo da turnê começa a passar nos telões com Transylvania, música instrumental do primeiro disco da banda como trilha sonora. Logo após a intro Churchill's Speech imortalizada pela banda no Live After Death de 1985. Enfim logo após isso Aces High e a banda adentra o palco sob uma chuva de fógos de artifícios e pirotécnia que havia ficado de fora do show do ano passado, todos pulavam e o refrão era cantado em uníssono. O Maiden tem grandes músicas para começar um show, mas nenhuma tão perfeita quanto Aces High.

Depois como segunda música da noite Wrathchild, extasiante do início ao fim. Depois, coladinha, 2 Minutes to Midnight com direito a praticamente todos pulando diante de seu riff inicial. Bruce como de praxe agitou, correu e botou fogo realmente em todos, principalmente durante a extensa e belíssima parte instrumental do som, das melhores da noite. Intervalinho e Bruce pede desculpas pelo atraso, parabeniza os invasores do Pinheirinho e diz que aquele era o maior show da história do Iron Maiden (sem contar festivais como Rock in Rio, Monsters of Rock...) com segundo ele "a fucking thousand people!".

Depois, uma surpresa das mais gratas, Children of the Damned segunda faixa do disco The Number of the Beast, que a banda não devia tocar há mais ou menos uns 23 anos em turnês mundiais. Devo dizer que fui pego completamente desprevinido com a música, nem nos meus sonhos mais fantasiosos de shows do Maiden via eles tocando essa música, baladinha que é caiu super bem e foi muito bem aceita por todos.

Depois outra surpresa, Phantom of the Opera que quando anúnciada gerou rebuliço total em nos presentes em Interlagos, uma música também sempre muito requisitada que é pouco tocada, seu maravilhoso instrumental foi uma das coisas que fizeram os fãs paulistas esquecerem de toda falta de organização do evento.

Após, a manjadíssima porém insubstítuivel The Trooper. Destaque do som vai para o solo dobrado de Adrian Smith por Janick Gers, bom nas gravações e melhor ao vivo, e claro Bruce agitando a bandeira da Inglaterra. Depois para mim um dos divisores de água da noite, Wasted Years. A melhor versão da música que eu já tive o prazer de ouvir sem exageiro algum, com certeza a mais emocionante da noite. Eis que após Bruce começa a falar de poemas e poesias, mas não era preciso saber inglês para entender que música eles tocariam quando ouve-se o nome de Samuel Taylor Coleridge. Sim, Rime of the Ancient Mariner a mais longa música do Maiden estava para ser tocada. Realmente um show de efeitos, pano de fundo e cenários excelêntes. Fora ainda a parte instrumental que assim como no video Live After Death contou com gelo seco no palco para dar o clima de mar calmo em meio a escuridão, mas a parte mais emocionante foi na hora em que a música chega perto de seu solo com uma explosão de fumaça acima do palco, realmente a parte do show que mais me arrepiei.

Depois invertendo a ordem do Powerslave temos a própria Powerslave, na qual Bruce adentra o palco de forma primorosa saindo de trás de labaredas com uma máscara egípcia para cantar o som, que apesar de não ser hit foi cantado em uníssono por todos. Seguindo após a música o palco escurece, escuridão que fica até que a bateria comece. Sim, Run to the Hills é a próxima a ser executada pelos ingleses, com a galera toda batendo palmas, uma das melhores da noite também com seu refrão cantado a plenos pulmões por todos ali presentes.

Depois a exceção do set list de época feita pela banda(1988 pra baixo), Fear of the Dark. Uma música que não pode faltar em um show que se preze do Iron Maiden. Não sei se seria a mesma coisa voltar pra casa sem cantar os "oooO oooO" feitos tradicionalmente pelos fãs seguindo o solo de introdução da primeira estrofe. Depois Hallowed Be Thy Name outra que embora eu não concorde muito com sua inclusão nos set lists a tempos é um grande show principalmente em seu final com Bruce colocando a platéia para cima. Depois Iron Maiden, com direito a Eddie saindo de trás da esfinge do Powerslave no interlúdio do som, e também como de praxe Gers jogando sua guitarra para cima e a girando como se fosse um brinquedinho. Logo após a banda deixa o palco... e ficamos na espera do bis... algumas luzes vermelhas começam a se ascender no palco...

E ai ouvimos o trecho do livro de Apocalipse presente na bíblia, The Number of the Beast estava para começar, uma música que a banda não havia tocado nem em Manaus tão quanto no Rio de Janeiro, mas que sem ela o show não seria o mesmo. A música contou com a presença de um "diabinho" no lado esquerdo do palco, fazendo gestos com a cabeça durante principalmente o refrão.

Depois The Evil That Men Do, música do Seventh Son of a Seventh Son, que contou ai sim com a presença de Eddie no palco na hora do solo de Adrian Smith. Eddie do Somewhere in Time que se dirigiu a Gers no palco e os dois brincam como se não se notasse a diferença de tamanho entre os dois, um quase o dobro do outro.

Logo após Sanctuary para fechar o show. Em seu interlúdio Bruce para completamente a música e diz as intenções de lançar um álbum de inéditas em 2010 pra voltar ao Brasil em 2011, claro que logo falando isso foi ovacionado por todos, e logo após continuou cantando a música que enfim encerrou a apresentação.

Acho que depois de um show desse caimos numa crise existêncial, poucos show (se houverem...) daqui até o final de nossos dias serão tão bons quanto esse foi, muitos reclamam de set list, claro, isso nunca agrada a todos e não dá para fazer o gosto de 100.000 pessoas em 16 ou 17 músicas, que sejam. Mas acho que se fosse para escolher um set list creio que esse apresentado seria o melhor para todos, se fosse para dar uma nota para o Iron Maiden ontem não poderia ser outra a não ser o 10,0 ou 1000. Épico é apelido!!!! \m/!!!!!

Set List:
-Churchill's Speech (intro)
-Aces High
-Wrathchild
-2 Minutes to Midnight
-Children of the Damned
-Phantom of the Opera
-The Trooper
-Wasted Years
-Rime of the Ancient Mariner
-Powerslave
-Run to the Hills
-Fear of the Dark
-Hallowed Be Thy Name
-Iron Maiden
***********bis************
-The Number of the Beast
-The Evil That Men Do
-Sanctuary

P.S.: Desculpe ser extenso demais pessoal, não consegui ser mais breve diante de um espetáculo dessa grandiosidade.

sábado, 14 de março de 2009

A face da realidade?

Fernando Alonso fez nesta sexta-feira um especial para a TV espanhola onde fala sobre sua preparação para a temporada desse ano, pré-temporada e faz previsões surpriendentes para a temporada 2009. Veja só:


Embora a Brawn tenha ficado na frente Fernando resaltou de que as diferenças entre os times diminuiram drásticamente do ano passado para hoje e que a próxima semana de testes pode ser decisiva.

Seria uma previsão realista? não sei, mas é de alguém do meio que botou seu próprio bólido em nada mais que o 5º lugar no grid das equipes, a Brawn realmente será surpresa e não só nos pegou desprevinidos como também pegou gente que como Alonso já está 9 anos na F1 vendo tudo o que acontece diante de seus olhos com as calças na mão. Ao que parece essa próxima semana será decisiva para quem irá testar, e o que, como isso, poderia ser apenas um detalhe pode se tornar um agravante importante no fim das contas.

Só mais uma coisinha... o que a Brawn tem andado e causado de espanto em tudo e todos soua pra mim como um murro na cara ou um tiro no pé da Honda que poderia estar por cima agora e muito bem redimida, ao contrário agora os bons resultados só fazem aumentar a má fama. Mas fazer o que... era a crise... o dó.... tadinhos dos japinhas...

Para gostar de Iron Maiden (Volume 9)

Mais um:


The Number of The Beast lançada em 1982 como 5ª faixa de seu disco título. Tive muitas dúvidas se colocaria essa música na coletânia, uma música um tanto quanto polêmica em sua ideologia como todos aqui já devem saber. Sou totalmente contra satânismo e ocultismo, acredito em Deus, aqui o assunto é música. Assim estou aqui única e exclusivamente como um apaixonado por Heavy Metal e riffs de guitarra, assim sendo, resolvi bota-la na nossa coletânia já que músicalmente é colírio para os ouvidos (se é que o uso dessa figura é viável...). Um dos motivos é que me fizeram colocar a música aqui foi que essa foi a primeira música do Iron Maiden que eu ouvi quando tinha, salvo engano, 12 anos de idade enquanto jogava Tony Hawk 4 (bons tempos!!). Cheguei a ficar tão deslumbrado com o som que algumas vezes só botava o jogo para ouvir a música, numa época que eu não tinha como baixar músicas na internet.

Excelênte som, destaque para o riff inícial, que juntamente a Caught Somewhere in Time o melhor do Maiden para mim, e também para a parte instrumental no meio da música, uma das melhores que já tive o prazer de escutar nestes tempos ouvindo e acompanhando o Heavy Metal com todo o prazer. Obra de arte!

Amanhã, como o que é bom dura pouco, fim da saga...

sexta-feira, 13 de março de 2009

Para gostar de Iron Maiden (Volume 7 / 8)

Mais duas para vocês! aproveitem:

Be Quick or Be Dead, 1ª faixa do disco Fear of the Dark lançado em meados de 1992. Justifico o nome do meu blog com essa música que apresenta todas as características de um excêlente Thrash Meteal, com vocais rasgados, riffs rápidos, refrões melódicos e solos supersônicos. Merecia na minha opinião ser mais reconhecida do que é pelos fãs de Maiden, aliás nesse disco para todos parece que só existe Wasting Love e Fear of the Dark, infelizmente o resto desse primoroso disco ficou meio esquecido pela história embora ai Be Quick or Be Dead e From Here to Eternity tenham sido lançadas como hits.

A "outra" (atendendo também a um pedido):


The Trooper lançada no disco Piece of Mind de 1983. Talvez o dessa música seja um dos solos mais fantásticos do Iron Maiden, sua atmosfera é excelênte. E está ai mais um porque dos "porques" que acho Adrian Smith o melhor guitarrista do Maiden. Sua parte é fenomenal e de um feeling primoroso. Quanto a música, seus riffs também estão entre os melhores da história do Maiden destaque para o intelúdio das estrofes no qual hoje em dia as 3 guitarras fazem 3 linhas diferentes, vale a pena conferir. Sensacional! mais duas músicas excênciais para você ouvir...

quinta-feira, 12 de março de 2009

Para gostar de Iron Maiden (Volume 5 / 6)

Como tive alguns problemas nessa semana não consegui dar continuidade da série, portanto hoje e amanhã excepcionalmente a série virá com 2 videos:

Dance of Death do disco do qual é faixa título lançado em 2003, porém essa versão é encontrada no disco ao vivo Death on the Road de 2005. Acho Dance of Death o melhor álbum dessa "nova" fase do Maiden com 3 guitarras e nenhuma outra música melhor que essa para ver bem as 3 em ação. Fora ainda a parte instrumental, com um misto de orquestra e Heavy Metal, totalmente diferente daquilo que estavamos acostumados a ver o Iron Maiden fazer por exemplo em seus anos de ouro, não que isso seja um demérito, muito pelo contrário, ai está uma prova de que é possível inovar o estilo com 30 anos de estrada na bagagem, e o melhor fazendo músicas boas como esta acima.

Agora a outra (inclusive atendendo a um pedido):

The Clairvoyant do disco Seventh Son of a Seventh Son lançado em 1988, porém ai esta ao vivo em 1992 em Donington Park. Uma das melhores músicas da carreira do Maiden, destaque para as frases de guitarras que são demais. enfim não há nada para dizer o som está ai, ouça-o!

Tirando conclusões

Não vou e nem pretendo falar dos testes de inverno aqui, mas acompanhando os resultados desses que acabam hoje, muito me surpreendi com a reincidência de algumas equipes. Pontuando gostaria de destacar 3:

-Brawn GP: Todos nós falavamos que ia apenas fazer número no grid e que apenas ai ser notada em caso de acidentes, quebras e como retardatária atrás de todos. Porém os testes não dizem isso, a Brawn treinando com todas as 10 equipes não ficou um dia fora do Top 4. Se fosse uma vez ou outra, mas não, todos os dias vemos o carro da Brawn na frente desde que começaram os testes, e fazendo simulações de GPs completando cerca de 100 voltas por dia. Carro bem nascido do talvez maior mago projetista da F1 atual, Ross Brawn.

Não acho que o Brawn vá andar em 1°, não seria viável pensar que um time que há uma semana atrás não sabiamos nem se alinharia na Austrália vá liderar corridas, porém não será fundão com toda a certeza. Tempo dirá a verdade mas a Brawn não vai figurar como achamos.

-McLaren: O time de Working está encontrando serissímas dificuldades com as novas exigencias aero-dinâmicas feitas pela FIA. Tinhamos essa idéia já durante os testes no Algarve com o uso da asa traseira de 2008, mas o que era para ser algo passageiro virou crônico e o time tem problemas para se estabelecer com a aero-dinâmica 2009, por assim dizer. Fato é que Hamilton bateu forte em Jerez no último dia de teste lá e a McLaren não vem conseguindo em Barcelona andar na frente, sempre esteve entre os últimos colocados com Kovalainen e inclusive Hamilton que ontem ficou na lanterna. Até Norbert Haug chefe de corridas da Mercedes-Benz já fala mal do potêncial do carro. O que me faz levantar aquela hipótese de Whitmarsh e McLaren estarem pagando pela inesperiência como pagaram Domenicali e Ferrari ano passado. Parece que o jogo inverteu.

-Ferrari: E de fato a Ferrari me dá a impressão de que pode ir além do que rende, tem ficado a exceção de hoje no Top 4 porém sem fazer tempo para ficar em 1° e ganhar mídia, e sim ficar mais atrás ali para ser "abafada" pela Toyota, BMW e Brawn GP. Há ainda alguns probleminhas com relação ao KERS, claro, não poderia ser diferente talvez a maior novidade em termos revolucionários dos últimos anos na F1, é normal que tenham problemas no início. Porém a Ferrari sempre está ali entre os primeiros e aposto nesse ano em um começo muito forte do time italiano.


Para tirar as provas os resultados dos testes estão na ordem aqui, aqui, aqui e aqui

segunda-feira, 9 de março de 2009

Para gostar de Iron Maiden (Volume4)

Mais uma para vocês:


Aces High lançada em 1984 pertencendo ao disco Powerslave (veja a capa no cabeçalho). Talvez das maiores porradas do Iron Maiden, 100% Heavy, uma porrada digna de Powerslave que na minha opinião é o melhor CD dos ingleses. No início do som temos um discurso de Winston Churchill, o homem que comandou os ataques aerios a França no fim da 2ª guerra mundial. Tudo faz jûs a música que trata de combates aerios em sua letra. Detalhe da música vai para os vocais e principalmente o backing vocal do refrão... insano...

Enfim essa é uma música indispensável a essa mini coletânia, ouça-a e saiba porque!

Dolly versão automóvel

E por último, finalmente, a STR apresentou seu carro hoje em Barcelona, confirmando o ano das apresentações mais chatas de todos os tempos, oferecimento de alguns comedores de bacon que não tinham dinheiro para pagar seus canês do baú em dia.
Mas enfim está ai o STR4:









Lembram o que eu disse aqui no dia do lançamento do RB5? eu refresco sua memória... "Se ele andar bem nesses testes vejamos que parte do STR não ficará idêntica a desse carro hehehe..." Pois bem dito e feito, repare na asa diânteira, no bico nos defletores ao lado dos radiadores e na asa traseira (além da pintura igual da Red Bull Cola). Pois bem, ficou tão bonito quanto o carro da Red Bull, na minha opinião os dois mais bonitos da temporada.

Esse ano tende a ser complicado para o time, Gerhard Berger se foi, e o motivo de sua ausência é exatamente o de que a Toro Rosso não terá as mesmas condições de orçamento de se desenvolver nesse ano como no ano passado, culpa da crise? não... culpa da Red Bull que agora sim com Vettel vê a grande oportunidade de ser competitiva e não continuaria gastando igualmente seus recursos para ambas, para eles já está na hora de se tornar grande, o que de certa forma ameça um pouco a existência da STR a longo prazo. Será um ano para pontuar as vezes em situações especiais, não acredito que a equipe faça um campeonato como fez o fim do ano passado.

Bourdais e Buemi, um já estava lá perigou em dezembro mas ai já está, e o outro veio da GP2 mais pelo patrocínio do que por suas conquistas na pista. Logo acho que Bourdais tem tudo para fazer frente a Buemi, a não ser que dê alguma zebra já que o francês precisa deseperadamente de mostrar serviço, já que no ano passado, mesmo com suas boas atuações na pista não conseguiu muitos pontos, sua habilidade pra mim não é botada em questão, é lógico que não é tão bom quanto Vettel, mas no meu ver é um bom piloto sim.

Buemi é sinônimo de incerteza para mim, sendo como foi, apenas o 6º no campeonato do ano passado de GP2, não acho que vá surpreender nos tão frenquentemente, o que não o impede de fazer também um bom ano já que a STR é um bom carro para o parâmetro de um estreiante, vale dizer que contém o motor Ferrari. Mesmo assim acredito em Bourdais na frente.

N° 11 - Sebastien Bourdais
N° 12 - Sebastian Buemi
P.S.: A nível de curiosidade clique nesse link para ver todos os lançamentos desse ano.

domingo, 8 de março de 2009

Para gostar de Iron Maiden (Volume3)

Antes de acabar o dia outro som do Maiden:


Wasted Years do disco Somewhere in Time (aconselhado aqui ao lado>>>) lançado em 1986. Ontem havia dito que acho Adrian Smith o melhor dos guitarristas do Maiden, um dos motivos pelo qual acho isso é sua participação nesse disco, compondo sozinho 3 músicas das 8. E diga-se de passagem senhoras composições como esta que está ai acima. Outro destaque é o clipe, o que mais gosto do Iron Maiden. Apartir desse disco as composições da banda ficam um pouco mais robustas graças aos sintetizadores, teclados e reverbs no som. Para tirar a prova basta ouvir Run to the Hills e depois essa, constata-se o "clima" é bem diferente.

Vá lá... ouça... garanto que vale a pena!

sábado, 7 de março de 2009

Nascido para guiar

Bom, há alguns anos, mais precisamente em 2000/2001, tivemos nas pistas da F1 um piloto da Argentina, terra de Fangio pentacampeão mudial nos anos 50 na F1, seu nome era Gaston Mazzacane, um "Pay-Driver" que realmente justifica a má fama desse nicho de pilotos, que tiveram seu apogeu na minha opinião durante sua passagem memorável pela F1.


Se você não o viu ou não se lembra dele ai vai uma pequena amostra do talento do argentino prodígio:
Elkhart Lake 2004, ChampCar. Nem lá nos EUA, em uma categoria seriamente enfraquecida, a criatura se deu bem...
Enfim, esse foi Gaston Mazzacane ***aplauso***.
Me lembro do GP da Austrália de 2000, na ocasião o argentino fazia sua estréia na F1, de ele atrapalhadamente jogando o carro fora da pista para deixar os carros mais rápidos passarem, e ainda sem contar suas saidas de pista durante a prova. Isso se repetiu durante o ano inteiro em 2000.


Pois bem, o argentino era tão bom, tão bom, tão bom que 8 anos depois de sua passagem pela categoria máxima do automobilismo virou caminhoneiro, e hoje como vocês devem saber anda na F-Truck Brasil (como diria Galvão Bueno: "que ladeira abaixo"), eis que o mito ataca novamente
:
Acidente ocorrido ontem em Guaporé no RS, durante os treinos para o primeira prova do ano na categoria. Mazzacane não morreu, nem se machucou, porém vai ter que abdicar da corrida devido aos danos em seu caminhão.


A conclusão que posso chegar ao ver fotos como essa é... Giancarlo Minardi e Alain Prost estavam realmente precisando de muuuuita grana quando o contrataram, de tanta grana que não podiam contratar um "Pay-Driver" melhor qualificado. Pois bem, ano passado veio para o Brasil com a etiqueta "Fui piloto de Formula 1" porém específicamente no seu caso não significa de fato muita coisa pelo que vemos...