sábado, 14 de março de 2009

Para gostar de Iron Maiden (Volume 9)

Mais um:


The Number of The Beast lançada em 1982 como 5ª faixa de seu disco título. Tive muitas dúvidas se colocaria essa música na coletânia, uma música um tanto quanto polêmica em sua ideologia como todos aqui já devem saber. Sou totalmente contra satânismo e ocultismo, acredito em Deus, aqui o assunto é música. Assim estou aqui única e exclusivamente como um apaixonado por Heavy Metal e riffs de guitarra, assim sendo, resolvi bota-la na nossa coletânia já que músicalmente é colírio para os ouvidos (se é que o uso dessa figura é viável...). Um dos motivos é que me fizeram colocar a música aqui foi que essa foi a primeira música do Iron Maiden que eu ouvi quando tinha, salvo engano, 12 anos de idade enquanto jogava Tony Hawk 4 (bons tempos!!). Cheguei a ficar tão deslumbrado com o som que algumas vezes só botava o jogo para ouvir a música, numa época que eu não tinha como baixar músicas na internet.

Excelênte som, destaque para o riff inícial, que juntamente a Caught Somewhere in Time o melhor do Maiden para mim, e também para a parte instrumental no meio da música, uma das melhores que já tive o prazer de escutar nestes tempos ouvindo e acompanhando o Heavy Metal com todo o prazer. Obra de arte!

Amanhã, como o que é bom dura pouco, fim da saga...

4 comentários:

Marcos Antônio Filho disse...

Quando minha mãe ouvia o 666 no último volume, e só ouvia o grito: "Abaixa essa música do demônio!"
rsrsrsrs

Hell and fire was spawned to be released! hehehe esse som é d+!!!

Bruno Santos disse...

Agora deu vontade de pegar meu guitar hero...

Esse riff do meio da música, um dos melhores do Iron, essa não poderia faltar na saga. Ansioso pelo último capítulo.

Abraço.

Ron Groo disse...

Tem gente que até hoje só faz a ligação com o Iron por esta canção.
Tem gente que tem mania de pensar que o Iron é satanista.
Nada. O Iron é tão satanista quanto politico (Public enema number one), quanto é anti-clerical (Holy Smoke, quanto histórico (The Clansman).
O Iron tem um disco inteiro sobre a loucura (Seventh son of seventh son) Gravou apenas duas perolas do xaveco (Strange World e Wasting Love) mas com uma classe que poucas bandas tem para tratar o tema.
Ou seja, o Iron é tão plural quanto qualquer outra banda do rock. Com a diferença de que desenvolveu uma identidade muito propria copiada por "N" bandas ao redor do mundo.
É possivel reconhecer Iron nos discos do Helloween, do Drean Theater, do Def Leppard, do Kiss, do Queen e até nos discos do Angra se quer saber.
É isto que faz desta banda tão classica e tão importante.
Up the irons
Somehere back in time!

speed.king.thrasher disse...

Concordo em gênero número e grau Groo!