segunda-feira, 23 de março de 2009

Vale a pena ver de novo - GP da Austrália 1989


Aquecimento para Melbourne, hoje viajamos 20 anos no tempo(ou nem isso pois na época Adelaide era a última corrida do mundial)para o GP da Austrália em 1989.

A F1 chegava a Adelaide em 1989. O campeonato já estava decidido, Prost havia confirmado seu título na corrida anterior, o polêmico GP do Japão no qual ele e Senna bateram há 7 voltas do fim na chicane "Triangle". Prost abandonou, mas Senna precisando da vitória para levar a decisão para a Austrália continuou dentro de seu carro, assim sendo foi empurrado pelos fiscais de pista pela área de escape da qual o uso era (ou pelo menos ficou sendo após a corrida) ilegal. Enfim, Senna ganhou a prova e foi desclassificado depois.

Nos treinos Senna marcou o melhor tempo, lavando a alma a frente do campeão do mundo Prost, o 2º colocado. A surpresa do grid ficava por conta da Minardi, sim o time italiano registrou nessa corrida seu melhor grid na história com Pierluigi Martini largando em uma excelênte 3ª posição. O 4º foi o também italiano Nannini, que havia ganho o GP do Japão, o 5º Boutsen e o 6º colocado Patrese. A prova marcava a despedida de 3 pilotos ícones dos anos 80 na F1: largando em 21º com sua Osella o italiano Piercarlo Ghinzani na F1 desde 1981, largando em 22º o americano Eddie Cheever, cuja carreira na F1 incluia uma passagem na Renault, e também o mais famoso dos 3, o francês Rene Arnoux, ex-Ferrari e ex-Renault agonizando com sua Ligier a 26ª e última posição de largada.

Nos treinos, céu azul praticamente sem nuvens... o tempo seria o fator mór do fim de semana, mudando completamente para a corrida
Depois de 2 dias de céu azul em Adelaide o domingo amanheceu nublado e com muita chuva. Era chegada a hora da largada a chuva continuava forte e pilotos como Prost, Boutsen, Piquet, Nannini, Berger e Mansell pediam pra que a largada fosse adiada esperando que a chuva parasse ou diminuisse, porém a volta de apresentação acontece na hora certa, pontualmente ás 13 horas locais, sendo assim varios pilotos não estavam ainda em seus carros quando a volta de apresentação foi iníciada por Ayrton Senna, que em contraste a todos nem se deu o trabalho de sair do carro para pedir o adiamento, ao contrário, ficou o tempo inteiro de capacete sem falar com ninguém olhando fixamente para o horizonte, logicamente devia estar muito bravo com o ocorrido no Japão e nervoso com o dirigente Balestre que estava cassando sua super-licença. Prost já avisava antes, desistiria da prova.

Senna ia chegando no grid liderando nada mais que 12 dos 26 carros, os únicos que sairam para a volta de apresentação pontualmente. Sendo assim a largada é dada com 12 carros em suas posições originais e o resto tentando chegar ao grid. Sendo assim a luz verde é acendida e a largada acontece. Prost tenta sair a frente, mas Senna sem nada a perder joga seu carro em cima de Prost antes da primeira curva e entra na frente. Ao fim da primeira volta Prost vai para o box e desiste da prova por não concordar com a direção de prova e também claro por não precisar correr. Enfim Senna era 1º, Nannini 2º, De Cesaris 3º e Martini 4º. Varios carros já iam rodando como Modena, Piquet, Arnoux, Grouillard e Lehto. Sendo assim a prova é paralisada na segunda volta.


Todos voltam ao grid e a corrida seria recomeçada desde o início. Mas Prost não estava disposto a correr sendo assim é o único que não alinha.


Enfim, uma nova largada é dada exceto para Prost, e Larini que logo depois da volta de apresentação pára sua Osella na última curva da pista com problemas elétricos. Na largada Senna pula novamente na frente mas com direito a uma bela largada de Martini que é 2º, mais atrás Nakajima roda sua Lotus e cai de 22º para último. Ao fim da 1ª volta Senna lidera já com mais de 5s a frente de Martini, Boutsen, Patrese, Nannini e mais atrás De Cesaris.


Na volta 3 depois de muita pressão por parte de Boutsen, Martini cede e é ultrapassado não só por ele como também por Patrese, sendo assim cai para 4º. Na volta 4 a carreira de Arnoux acaba em uma colisão no hairpin de Adelaide. Volta 6 e mais problemas, dessa vez foi Berger que havia largado com sua Ferrari em uma horrorosa 14ª posição no grid tentar passar pela na Lola de Alliot sem sucesso, assim sendo toca no francês e sem conseguir desviar quebra sua suspensão diânteira esquerda no bico da Lola, os dois ficam fora.


Na volta 7 é a vez de Warwick perder o controle de sua Arrows e bater no muro. Na volta 10 a diferênça entre Senna e Boutsen já era de 27 segundos e ia crescendo, já o belga era pressionado pelo companheiro de Williams Riccardo Patrese, que o ultrapassa no hairpin, porém antes que o italiano possa começar a abrir ele erra na penúltima curva do circuito e perde a posição novamente para Boutsen. No mesmo momento Mansell roda em 360º em cima da zebra da curva que antecede o retão mas concegue continuar. Na volta seguinte a chuva que não diminuia fazia uma vítima inusitada, Ayrton Senna que continuava a andar forte ultrapassando retardatários. Se aproximando da última curva o brasileiro roda dando um 540° na pista e por muita sorte não sai da pista, sendo assim continua na prova e em 1º já que sua diferença era grande.

Por duas voltas seguidas De Cesaris roda na curva que dá acesso ao retão, na segunda rodada o italiano bate no muro e fura um pneu o que faz com que ele ao fim da volta tente entrar no box, ao mesmo tempo Senna chega a Brabham de Martin Brundle, o 10º colocado, na pista para dar-lhe a primeira volta, porém antes que pudesse avistar o carro do inglês Ayrton é cegado pelo spray do carro da frente que em Adelaide, sendo um circuito de rua era o ponto critico onde o mesmo não se dissipa muito bem. Sendo assim não enxergando nada Senna enche a traseira do carro da Brabham que vinha bem mais lenta que sua McLaren. Desse modo o carro do brasileiro vira um tricículo e Brundle perde a asa traseira, sendo assim abandonam ao chegar ao box. Box que era para onde queria ir De Cesaris após sua batida, porém antes disso sua Dallara com o pneu direito traseiro furado roda e deixa Andrea preso na zebra por fora da curva. Ainda na mesma volta seu companheiro Caffi roda na mesma curva que De Cesaris e Mansell já haviam rodado, mas o italiano não tem a mesma sorte e acaba batendo no muro e abandonando a prova.

Na volta 14 já tinhamos apenas 14 carros na corrida e Boutsen era o líder com Patrese atrás, Nannini 3º, Mansell 4º, Martini 5º e Eddie Cheever em grande corrida em 6º. Na volta 16 Patrese é ultrapassado por Nannini e Mansell sendo assim cai para o 4° lugar. Mais problemas na volta 17 quando Mansell erra no impeto de chegar em Nannini, roda, bate sua Ferrari e abandona a corrida saindo irritadíssimo do carro, já que o inglês era o piloto mais rápido da pista no momento.

Nannini: corrida consistente premiada com pódio
Na volta 20 Boutsen ainda era 1º com Nannini 2º, Patrese 3º, Cheever subindo na classificação em 4º, Nakajima voando também em 5° e Lehto o piloto mais jovem do grid com sua Onyx em 6º. Na mesma volta o 8º colocado Piquet chegava em Martini para passa-lo pelo 7º lugar, sendo assim no final do retão bota seu carro por dentro para enxergar mais a frente porém assim como Senna fora traído pelo spray vindo de outro carro na frente Nelson acaba batendo na Osella de Ghinzani sem ver nada, jogando o italiano no muro do outro lado da pista, e ainda depois derrapando para a área de escape. a Lotus de Nelson por muito pouco não bate também na Minardi de Martini que continuava fazendo seu traçado. Ghinzani e Piquet abandonam, e Piercarlo em sua última corrida sai de seu carro mancando.

A Osella de Ghinzani é retirada
Na volta 27 um azarado Lehto é obrigado a abandonar sua 6ª posição por problemas elétricos em sua Onyx, um pontinho que poderia livrar a equipe da pré-qualificação em 1990. Apartir daí tinhamos apenas 9 carros na pista e a chuva continuava a não diminuir e mesmo assim a corrida continuava. Todos os pilotos ainda na pista vendo o que acontecia, começaram a se poupar e andar menos para chegar ao fim da corrida, pois afinal, tudo isso que aconteceu até aqui havia ocorrido em menos de uma hora das duas de prova. Desse modo a prova acaba ficando morna em sua parte final.

Até a volta 42 nada ocorria na corrida até que Cheever aquaplana, roda e deixa seu motor apagar, assim sendo é mais um fora da prova. No mesmo momento em que Pirro confirmando o bom dia da Benetton vai pra cima de Martini e o ultrapassa pelo 5º lugar na classificação, seus primeiros pontos na carreira em sua última corrida na Benetton.

Desse modo com 70 voltas completadas das 81 programadas a direção de prova resolve acabar o GP pois esgotava-se o tempo limite de 2 horas de corrida, sendo assim Thierry Boutsen ganha seu segundo GP na carreira, em ocasião muito parecida a de seu primeiro trunfo, no Canadá no mesmo ano, pois o belga era o 2º em uma corrida chuvosa quando Senna que era 1º e quebrou seu carro.

Nakajima: talvez sua melhor apresentação da carreira
Assim o belga acaba o ano em 5º no campeonato. Mesmo não tendo ganho nenhuma corrida no ano Patrese acaba o ano na frente de Boutsen em 3° e Nannini que chegara em 2º manteve-se em 6° na classificação geral. Nakajima depois de bela apresentação, saindo depois de uma rodada na primeira curva de 25°(lembre-se de que Prost não alinhou) para 4° no fim, somou ainda por cima a volta mais rápida do GP, sua única na carreira.

Veja o resultado da prova depois das 2h/70 voltas:

1. 5 Thierry Boutsen/Williams-Renault/2:00'17.421
2. 19 Alessandro Nannini/Benetton-Ford/+ 28.658
3. 6 Riccardo Patrese/Williams-Renault/+ 37.683
4. 12 Satoru Nakajima/Lotus-Judd/+ 42.331
5. 20 Emanuele Pirro/Benetton-Ford/+ 2 voltas
6. 23 Pierluigi Martini/Minardi-Ford/+ 3 voltas
7. 15 Mauricio Gugelmin/March-Judd/+ 4 voltas
8. 8 Stefano Modena/Brabham-Judd/+ 6 voltas

Volta mais rápida: Satoru Nakajima 1:38.480

Melhores momentos:




3 comentários:

Bruno Santos disse...

"como é engraçado esse Mansell"...hehehehe.
As corridas na Austrália são sempre movimentadas, estou esperando outra.
Abraço.

Marcos Antônio Filho disse...

"Festa Da Williams, vence Thierry Boutsen!"
putz bons tempos que a Williams ganhava! Corridas em Adelaide são muito loucas e o cara que dá a bandeirada é muito legal, ele faz uma frescurada pra dar a bandeirada que é muito legal!rs

Ron Groo disse...

Esta é uma das corridas mais loucas que se teve noticia.
Classica.