terça-feira, 4 de agosto de 2009

Assento ejetor


Não vou falar sobre mais do mesmo, Nelsinho Piquet está fora da Renault, uma notícia que não choca nem deixa boqueaberto, era questão de tempo com os resultados que o brasileiro apresentava até a presente data era mais que um fato que isso iria acontecer uma hora, e essa hora finalmente chegou.

Claro, Nelsinho tem lá sua (bela) porcentagem de culpa nisso, errou e errou muito nesse ano e meio no volante da Renault. Há casos em que não há desculpa, como na China esse ano e Cingapura ano passado, Nelsinho foi muito mal.

Briatore apenas usou para o demitir a aquilo que todos víamos na pista, falta de performance de Piquetzito tanto em corridas como em treinos. Principalmente ano passado Nelsinho ficou devendo muito. Digo principalmente pois nesse ano já era visível que Briatore não gostava muito da idéia de ter Nelsinho no time por um motivo muito claro e históricamente um motivo que motivou varias demissões na Renault e na Benetton, a igualdade nos equipamentos.

Brundle, Herbert, Trulli e agora Nelsinho foram vítimas dessa política de Briatore, que tem agora, e sempre teve na cabeça dele um primeiro piloto para o time. Em primeiro caso Schumacher e em segundo Alonso, tinham os melhores equipamentos e todas as prioridades e atenções.

Isso não é uma defesa incondicional ao mau desempenho Nelsinho Piquet mas é um álibe com uma força consíderavel. Afinal competir na F1 já faz muito tempo que não se resume em apenas correr, existe também o ambiente dentro time, que afinal é o que te dá o suporte na pista. Nelsinho junto com mais esses 3 pilotos que citei em certa altura não tinham o apoio da equipe comandada por Briatore.

Conpreensível por agora, simplesmente não dá para ver na Renault dois pilotos com equipamentos iguais, sendo que Alonso é tão cotado para ir para Ferrari e o time francês está na sua pior fase desde 2002. Nelsinho sofreu como eu acho que Grosjean, ou outro piloto que vier, poderam sofrer na Renault, pois será cobrado por resultados imediatos sendo estreante que é, e sem qualquer possibilidade e hipótese de andar no nível de Fernando Alonso. Ou seja: "Ande bem, mas não tanto assim." . Briatore quer segurar Fernando e também quer que o segundo carro pontue e que o piloto não reclame. A situação é complicada, a pior coisa para um piloto, e principalmente alguém que precise mostrar resultados como um estreiante.




O que faz perceber que o segundo assento do time de Briatore históricamente é um "assento ejetor" já que sempre houveram preferências. Não o condeno por isso, afinal ele descobriu grandes talentos e é um chefe de equipe vencedor

Para Nelsinho resta a torcida para que consiga uma vaga em algum time novo para o ano que vem e quem sabe ter uma segunda chance. A primeira já foi e mesmo com o argumento que usei aqui não deixará de ser esperado por um lado se ele não conseguir ter uma nova chance pelo currículo magro

4 comentários:

Marcos Antônio Filho disse...

Que Nelsinho é um bocó a gente já sabe, mas Briatore tb é um cara mto mau carater! Está na equipe errada, ele tinha que ir pra Ferrari...

Anônimo disse...

Nelsinho vai ter dificuldades para voltar. Anotem!

Ylan Marcel disse...

Nelsinho terá dificuldades para voltar. Anotem!

Guilherme Teixeira disse...

E ae cara!
Encontrei teu blog por um acaso, e me achei ele interessante, pois o principal tema dele são minhas duas paixões: F1 e Heavy Metal.

Se tu puder fazer uma visita lá no meu blog, que também fala um pouco de música (na verdade, comecei a postar coisas sobre bandas hoje. hahaha)

http://grandprixnobrasil.wordpress.com/

Obrigado e desculpe pela propaganda barata ;)