sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Ponto a ponto


Todo mundo está dando suas opiniões quanto ao novo sistema de pontos da F1. Hoje acho que vou declarar uma coisa inédita nesses tempos de "pensador" automobilístico. Eu não tenho uma opinião formada sobre isso.

Pode dar errado por um lado, já que no meu ver estão banalizando demais os pontos por prova, já que antigamente pontuar, mesmo que fazendo 1 pontinho, numa mísera corrida em uma carreira inteira era um degrau a mais, ou seja, via-se o piloto em outro patamar, diferente daquele que não havia pontuado. E isso ao que parece pode se perder um pouco com esse novo sistema, assim como os valores estatísticos da história, mas é verdade que isso é bem relativo.

E não venham me dizer que os tempos são outros, no quesito de pilotos serem mais burocráticos. Deixe alguém errar na frente de alguém, que seja numa disputa de 14° lugar, pra ver o que acontece. Pilotos querem ganhar, mais do que tudo, e se chegaram a F1 foi por essa sede de resultados. Todos que estão lá, pagantes ou não, correm há tempo suficiente pra aquilo deixar de ser uma simples brincadeira.

Tem também o fato, ainda no "dar errado", de que o campeonato pode ser disputado por bem menos gente, ou então nem ser disputado, imaginem só se essa fosse a pontuação vigente nesse ano. Button teria ao fim do GP da Turquia, última que venceu nesse ano, 162,5 pontos, o que além de ser um número estratoférico pra F1, seria uma vantagem ainda maior para Barrichello o 2° na época que teria 82 pontos, apenas!

Mas, pode dar certo por outro lado também, já que as quebras são muito menos frequentes principalmente de 2007 pra cá. E tem ainda aquela história do número regulamentar de câmbios e motores por ano, ou seja, está no regulamento que se quebrar vai se dar mal. Pra isso os pontos extras viriam bem a calhar, já que as equipes novas precisam de incentivo para continuar a investir na F1, para que não corramos mas o risco de termos um grid tão magro como quase tivemos esse ano. Fora que, além dessa parte esportiva, vale grana também.

Fora ainda o fato de termos no ano que vem 26 carros, assim se a pontuação ficar só entre 8 primeiros ficaria mais difícil ainda de algumas equipes saírem do zero

Se tivermos, também hipotéticamente, um campeonato de forças niveladas com vários pilotos tendo a possibilidade de vencer seria melhor, já que a vitória seria valorizda em mais 3 pontos.

Enfim. depois desses dados e desses argumentos, é difícil para eu saber qual o meu preferido. O antigo deixava a briga na frente mais acirrada mas ou mesmo tempo é menos populista, e o novo vice-versa, isso se não tivermos um equilíbrio grande de forças, o que tenho minhas dúvidas se irá acontecer, pois NÃO estamos mais nos anos 60 e 70.

Pensando bem, acho que isso só foi botado em questão, além do número de equipes novas alinhando no Bahrein no ano que vem, o fato de Felipe Massa com mais vitórias não ter ganho o título de 2008. Sim, foi só apartir dalí que começou a se discutir uma possível mudança no sistema de pontos. Pelo jeito para FIA não é interessante ter um campeão com menos vitórias que um dos respectivos adversários, e é isso que ela quer evitar com ese novo sistema.

Enfim, não tenho opinião, até ver carro na pista, primeiros GPs, assim sendo, primeiras impressões. Sem idéia...

2 comentários:

Marcos Antônio Filho disse...

eu não sou a favor disso não, mas já que aprovaram...

a notícia melhor é que vc voltou apostar!

Ron Groo disse...

Mudou pra não mudar... Apenas agregaram mais gente a zona de pontuação. Isto vai nivelar por baixo.