domingo, 3 de outubro de 2010

Para gostar de Rush (Vol.1)




Rush, banda clássica, porém as vezes mal interpretada e subestimada pelo rótulo, errôneo diga-se, de progressiva. Meu argumento é o seguinte: Se Pink Floyd é progressivo não há o que chamar de progressivo no som do Rush, a não ser que você seja um cara chato que gosta de etiquetar bandas. Enfim, primeiro som da coletânia do blog é Subdivisions do disco Signals de 1982. Disco que pode ser considerado divisor de águas dos canadenses quanto ao uso de teclado, que ali deixa de ser apenas mero acessório tornando de fato parte integrante do som da banda. O fim dessa música não me deixa mentir, dos mais belos momentos musicais que conheço.

2 comentários:

Marcos Antônio disse...

Rush é fodaaaaaaaaaa! gostei mto desse pra gostar, já gosto, agora mais ainda! o Mais negraçaod quando digo que adoro o Rush e me perguntam quem é rush? Aquela da musica do macgyver...aí td mundo lembra!rs

Grande som, uma banda que sempre, e o final dela é espetacular!

Ron Groo disse...

Ai sim.... Rush é progressivo, mas dos bão!
Vai rolar Anthen? Ou Lamelight, um dos melhores riffs de guitarra deles?