segunda-feira, 11 de maio de 2009

Head Ache: As opiniões do asno [2]


Bom galera... vamos fazer o seguinte: sempre teremos esse quadro depois de cada fim de semana de corrida, porém, claro, podemos ter edições extraordinárias... e é isso ai.
Enfim... você que vê a foto do post pode achar que vou meter o pau em Barrichello como fiz por exemplo ontem após o GP, aquele papo de segundão... e tal. Não, nada disso, e que fique claro. Embora ainda ache que Rubinho perdeu a corrida no 3° stint, quando voltou atrás de Massa e Vettel e sequer ameaçou-os, acho agora que esse não é o maior motivo da derrota. Eu lhe pergunto: será que se Button fosse o 1º na volta 17 teriam colocado abaixo dos 7 segundos de gasolina? teriam levado eles Rubinho à vencedora tática de duas paradas no 2º ou 3º lugar da prova? sei não... começo a achar que foi maracutaia mesmo... Porque vejam bem, não faz o menor sentido a equipe colocar o carro que estava em 1º numa estratégia de 3 paradas, sendo que haviamos ainda tido um Safety Car no início da prova. Seria arriscar demais, e seria eu completamente ignorante se não suposse que Brawn sabia disso, por exemplo, por seu passado.

A possibilidade de voltar atrás do tráfego, como de fato ocorreu, era muito grande, além do que a falta de ritmo de um jogo de pneus em um dos stints poderia levar a perda de uma ou mais posições, como também ocorreu. E sendo ainda que o carro que estava em 1º estava uma volta mais pesado que o carro que estava em 2º, e que fez duas paradas. Fora ainda que Barrichello só foi avisado da mudança de estratégia de Jenson apenas após a parada como foi mostrado ao vivo. Agora, diante disso eu lhe questiono novamente: não seria de bom grado sugeri-la a Rubens antes de sua parada, já que a Brawn como eles próprios não cansam de dizer, é um time unido? pois é... já não acho tão unido assim.

O fato de Jenson usar em seu carro dados dos quais Barrichello constata das pistas não é novidade para o mundo da F1, companheiros de equipe sempre fizeram e fazem isso, agora, vai da cabeça de Rubens, e só ele pode achar isso, se está sendo lesado ou não pela dada situação como a de ontem. A Diferença é de 14 pontos, dá pra tirar? sim claro, Barrichello tem 12 corridas pra isso. Mas é preciso Rubens fazer uma avaliação de si para com o time, afinal, qual é a de um piloto reconhecidamente por todos como bom acertador e peça fundamental para o desenvolvimento do carro, fazer uma tática suicida de 3 paradas de box em 1º lugar com uma volta a mais de combustível que o outro carro? simplesmente não há justificativa pra isso...

Não sei também se é hora de entrar em uma guerra de nervos alá Piquet-Mansell 1986/1987 na Williams, quando o duelo pouco se resumia às corridas própriamente ditas, indo até boxes, paddock, fora do autódromo, festas e até mesmo a vida pessoal dos envolvidos. Algo tem que ser feito e uma coisa Barrichello, se for esperto, poderá tirar desse duelo carniçeiro: a parte esportiva, a malícia de Piquet no quesito do desenvolvimento e acerto de carros, pois constante pontuador Rubens já é. No caso de pressão fora da pista não seria o caso, não dá pra imaginá-lo provocando Button (aliás, deviam inventar uma nova palavra para o que Piquet fazia com Mansell nessa época, provocar é fraco demais).
Mas no caso de acertar carros é um grande profissional e está ai um lugar de onde pode tirar proveito. Não precisamos voltar muito no tempo para vermos isso, basta lembrarmos de sua situação na virada desse ano e do porque sua escolha para o time da Brawn e não a de Bruno Senna, que em tese traria mais patrocínios.

Para terminar, vejo em Barrichello a possibilidade de ganhar sim um título mundial pela sua qualidade para com a de Jenson. O que passou, passou. Mas Rubens tem que fazer por onde, depois de ontem já não sei se ele conseguiria ganhar um campeonato no jogo limpo interno na Brawn, um duelo onde toda sua reputação pública (alô, "Barriquelo" e sua estrela + foto do post) está em jogo.


E ai concordam comigo? opinião de vocês é importante, já que é um caso polêmico... Abraço.

5 comentários:

Ron Groo disse...

A unica saida honrosa para ele seria chegar a Mônaco e dizer que não corre mais e deixar a equipe na mão. Pois do contrário vai ter outra vez falado demais.
Não é preciso ser gênio para ver que qualquer equipe do mundo teria como prioridade um piloto que ganhou, repito, ganhou quatro corridas em cinco que um cara que chegou tres vezes em segundo.

speed.king.thrasher disse...

Prioridade tudo bem Groo, afinal Piquet foi campeão em 1987 ganhando a 1ª corrida apenas na Alemanha, 9ª ou 8ª, ñ sei ao certo, corrida do ano...

mas o q eu quis dizer é q por hora ainda não podemos desmerecer Barrichello, embora Ross Brawn diga q não o sacanearam sim e ele tem q fazer algo... algo para deixar de "ser Rubinho" uma vez na vida, senão vai ser mal visto para sempre.

Bruno Santos disse...

Assino em baixo o texto.
Ainda acredito numa reviravolta na Brawn, Button nunca fez algo realmente brilhante na Fórmula 1. É só o Barrichello parar de reclamar, acelerar aquele carro, vencer uma...
Claro que para o Button a equipe tá unida, o mocinho está ganhando..quando é assim, tudo é uma maravilha.
Já que citou o Piquet-Mansell, Barrichello poderia negar informações ao companheiro, mas de uma forma elegante como o Piquet fazia, revelar na última hora...rsrs.
Vamos ver, a próxima corrida será decisiva, quem sabe o Galvão não acerta essa e Rubinho fatura em Monaco. A conferir.
Abraços.

Marcos Antônio Filho disse...

O difícil é Barrichello deixar de reclamar, infelizmente,não vejo mais futuro pra ele. Perdeu todas as oportunidades que teve e está perdendo mais essa. Ele falhou e falhou mais ainda com suas declarações que minam a relação da equipe.

Aníbal disse...

Cara, gostei do Blog. Uniu duas das minhas grandes paixões. Excelentes comentários! Valeu.