sexta-feira, 19 de junho de 2009

Bleff histórico ou verdade anunciada?


No último post sobre esse assunto eu dizia que acreditava em um final feliz, que FIA e FOTA se entenderiam como grandes amigos brigados, afinal elas podem falar que não mas uma precisa da outra tanto quanto a outra precisa dessa uma.

Mas dessa vez a briga pode não ter um final feliz. Ontem a FOTA (Ferrari, McLaren, Renault, Red Bull, Toro Rosso, Toyota, Brawn e BMW) em comunicado disse que estaria fora de vez da F1, depois de ter tentado chegar a um acordo com uma irredutível FIA. Pode ter sido um bleff? pode, afinal temos ainda 6 longos meses até que se acabe esse ano e metade de um campeonato mundial, que por contrato terá de ser respeitado e muito será discutido e falado nesse tempo. Vale a pena lembrar que até o ano passado as inscrições eram feitas no fim do ano, portanto ainda há alguma salvação, pelo menos na minha opinião. Mas que isso soa um ultimato, a soa.

Agora a bomba está na mão de Mosley. É ele quem vai ter que ceder, algo que históricamente não costuma fazer. Mas situações especiais requerem medidas especiais, e ele ou cede ou vai ficar a ver navios chupando dedo se contentando em ver correr Williams, Force India + agregadas sem história, sem estrutura, sem pilotos de nome e sua categoria completamente defasada no ano que vem. Fora ainda que segundo fontes européias a FIA estaria perdendo cerca de US$ 2,2 bilhões (47% do que ganha) caso mandasse pastar Ferrari, McLaren, Red Bulls, Brawn... ou seja não ganha absolutamente nada batendo o pé, só a pose fanfarrona viríl-tola de ganhar uma queda de braço na qual ela mesmo será a perdedora.

O anúncio "definitivo" está para ser dado amanhã sobre as equipes que ficaram no campeonato mundial de Formula 1 em 2010. Resta saber se ainda resta um cérebro por trás da carcaça senil de Mosley e se resta algum sentimento puro não-capitalista/egoísta em Bernie Ecclestone para apaziguar a situação.

Para finalizar, tenho lido em alguns lugares esse possível racha sendo tratado com naturalidade, conformismo e até otimismo. Qual é pessoal? essa F1 e toda sua tradição de 60 anos como conhecemos poderá ficar anos sem existir, essa F1 apaixonante, emocionante, instigante da qual de 2 em 2 semanas deixamos de dormir nosso sono apropriado para acompanha-la sem piscar a frente da TV. Jamais encararia isso com naturalidade. Pode parecer exageiro mas é mais ou menos como se perdesse um amigo, e de fato, tal como um grande amigo, é algo com que convivo e gosto há muito tempo.

Só espero que os cartolas tenham pelo menos por um momento o dom da sabedoria para saberem se tolerar e consiliar seus interesses.

4 comentários:

Ylan Marcel disse...

Deu merda. Só isso tenho a dizer!

Marcos Antônio Filho disse...

cara essa foi uma bomba! Realmente acho dificil a FOTA Fazer um campeonato e a FIA sobreviver sem as equipes. Ainda tenho fé em um acordo, mas isso se arrastará por muito tempo...

Felipão disse...

Acho que dessa vez não é blefe não, embora não acredite na criação de uma categoria apralela...

Leandrus disse...

Concordo com o Marcos. Tanto a FOTA quanto a FIA estão encarando essa situação com muita naturalidade. É óbvio que a F-1 vai cair no ostracismo se essas equipes realmente se retirarem, assim como não é de um dia para o outro que se cria uma categoria paralela (só entre alguns problemas, precisam arranjar novas pistas, criar um novo regulamento e saber quem será o chefão disso tudo, o que poderia ocasionar uma séria guerra de egos no novo campeonato). Vamos ver o que acontece, mas fato é que a situação chegou a uma proporção em que ninguém mais sabe o que vai acontecer. E o pior de tudo é que a crise é tão grande que até as corridas ficam ofuscadas...

Ateh!