domingo, 17 de abril de 2011

Em tom de reação


Tenho que dizer uma coisa. Gosto de ver vitórias do Hamilton. Normalmente todas elas são como essa da China. No trabalho, na vontade, na garra. Pulou pra segundo na largada, depois da primeira parada foi parar em quinto, e teve que passar Button – o daltônico – e Rosberg (com uma ajudinha de Maldonado, é verdade) na pista. Além de Massa e Vettel, que pela tática horrível de duas paradas, não conseguiram chegar ao fim com os pneus em condições decentes de defender uma posição. Hamilton fez uma das melhores corridas que já tive prazer em ver. Lembrando do drama que foi sair com o carro pro grid... quase que Lewis larga do pit.

Enfim, Lewis é aquele piloto que enche os olhos, não mede esforços para fazer uma ultrapassagem e luta por uma posição com a gana que todo espectador adora. Perfeito.

Tudo muito bom, tudo muito bonito. Mas é preciso lembrar que Vettel largou mal e Webber veio de 18º, e ambos completaram o pódio. Ou seja, Red Bull ainda é de longe o carro. Vettel ainda é o piloto. Tive a nítida impressão de no primeiro stint o alemão não estar arriscando aquilo que podia pra cima das McLarens. Não saiu vencedor da China por causa de sua largada péssima e da tática horrível, provavelmente motivada pelo impressionante ritmo de Rosberg. É cedo pra falar se a McLaren chegou, mas de fato o ritmo dos carros em corrida é muito similar, porém Red Bull ainda leva vantagem.

A corrida de Webber, o terceiro, é a maior prova de que quanto mais paradas se fizer, melhor, desde que o piloto seja combativo. Falem mal, mas é o regulamento desse ano funcionando, e muito bem. Bela prova do australiano, quem sabe aí, renascendo em 2011.

Button cometeu o erro mais imbecil que eu já vi na F1, enquanto liderava. Confundiu um box da Red Bull com um da McLaren. Coisa complicada, já que o uniforme de uma equipe é azul e o da outra é branco, e Jenson já corre na McLaren há mais de um ano. Ainda levou uma ultrapassagem linda de Hamilton, ou seja, tudo que o inglês fez depois da largada, só foi bobagem.

A linda tática de Rosberg. Daria certo, não fosse o problema de consumo de combustível; Maldonado, que saiu do pit como se nada nem ninguém estivessem na reta; e o erro ao tentar pela primeira vez passar Felipe Massa. Não fossem esses contratempos, Rosberg teria pelo menos ido pro pódio, mas poderia muito bem vencer sua primeira prova na F1 também. Quinto lugar para o alemão.

A Ferrari se mostrou bem de novo no ritmo de prova, mas em estratégia deve ainda. “É fácil de falar no fim da prova”, alguém diz. Mas, há um ano sabemos que quem tem pneus mais novos, consegue impressionante vantagem no ritmo de prova. Economizar uma parada depois de um primeiro stint como foi o de Felipe Massa, não foi lá muito inteligente. Podia ter ido pro pódio o brasileiro, quiçá brigado pela vitória, ficou só em sexto. Alonso, quem diria, sequer foi citado direito na corrida, e chegou ao fim levando um calor de Schumacher. Embora tenha sido vítima da tática ruim também, dou-me liberdade em dizer que essa foi disparada sua pior atuação desde que começou a andar nos carros rubros de Maranello. Sétimo.

No mais o bom treino de Force Indias e Toro Rossos não acabou dando em nada na prova. Nem perto de fazer algo interessante. Mas foi o treino que atrapalhou muito a Renault, o nono lugar de Petrov poderia ter sido algo muito melhor. Um único abandono, Alguersuari, e uma prova cheia de alternâncias, como foi esse GP da China, permitem dizer que o regulamento está funcionando bem. Pretendo aprofundar esse tema no blog depois, mas o resultado “pirotécnico”, digamos assim, das novas regras técnicas está muito bacana.

Gostei da prova, melhor do ano até aqui. E Hamilton provou que se derem carro e condição, ele faz. Lewis jogou uma luzinha de esperança em 2011, quando já estávamos sepultando o ano ontem depois do treino. Quem sabe não é o início de uma bela reação?

3 comentários:

Pedro disse...

Yeahh!!! Adorei essa corrida. Várias alternancias, povo andando em primeiro com parada (Rosberg) e depois caindo e o povo caindo e depois renascendo. Gostei bastante!

Ron Groo disse...

Não sei se o tom de reação é real... Afinal, bastava ele olhar para trás e ver que tinham duas Red Bull atrás dele. E uma vindo do décimo oitavo lugar!

Se não fosse a asa, o kers e os pneus de farinha, ele chegava pra passar?

Marcos Antônio disse...

onde assino? concordo com você, tivemos uma grande corrida e o regulamento está funcionando bem, e por mais artificial que digam temos emoção, oras!