domingo, 24 de julho de 2011

No suor, no braço


Trabalho e arrojo. É disso que eu gosto vendo corridas. Acho demasiadamente chato aquele tipo que só sabe disparar na frente e vê a quadriculada uma hora e meia depois. Lewis Hamilton é um piloto que tem corridas assim, claro. Mas é um cara que, quando está mais atrás e sente a possibilidade, corresponde à altura e nos brinda com atuações como a de hoje e como a do GP da China. O cara sabe ser agressivo – às vezes não na medida certa, é verdade - e é um diamante bruto no que diz respeito à combatividade. Que vitória; que corrida.

Lewis construiu a vitória no terceiro stint, quando passou a virar voltas inacreditáveis e controlar com perfeição a distância para Alonso e Webber. Mas antes disso, segurou Webber de forma esplendida nas primeiras curvas após sair do pit, e depois, repetiu a manobra de Mark - que ele bloqueara pouco antes – e, por fora, passou Alonso, ainda de pneus frios, logo depois que o espanhol havia saído boxes. Perfeito na hora exata. Terceiro stint que valeu o dia.

Alonso continua numa grande ascensão. Os números mostram até mais. Fernando é o piloto que mais marcou pontos desde o GP de Valência, 61. Ao que parece, em ritmo de prova, a Ferrari, se não está junta, vai muito próxima à Red Bull. Uma pena (aliás, pena não; “pena” se usa para azar) o problema no ultimo pit de Felipe Massa. A incompetência (aí sim) da Ferrari em paradas de box chega a ser engraçada. Felipe segurou Vettel praticamente a prova toda, e a equipe lhe derrubou ao fim. Pena dá de Massa, que nem performance e nem sorte tem para andar com os ponteiros.

E, até que enfim, a Red Bull já não é um ponto no horizonte. Em constância é bem superável, como se viu hoje. Tudo bem que Mark Webber não é o melhor piloto do time e que Vettel sofreu boa parte da corrida com problemas de freio, mas já não é de hoje que a Ferrari se aproxima. Agora chega também a McLaren, grata surpresa. E, ao que parece, teremos boas corridas neste fim de mundial. Uma pena que o campeonato já esteja definido.

Webber liderou suas primeiras voltas do ano hoje, mas fez muito pouco. Jamais foi combativo e largou muito mal. Já Vettel, teve o pior fim de semana do ano em performance, classificação e problemas. A ver o que lhe custou não andar no ritmo dos líderes.

Grandíssima corrida de Sutil, o único fora das três grandes a terminar a prova na volta dos líderes (na frente, por exemplo, das Mercedes). Grande trabalho de um piloto – Sutil - que andava precisando. Fazendo menção a Kobayashi – de 17º a nono – e a Petrov - que andava precisando marcar pontos, afinal desde o Canadá não conseguia.

Como já disse, parece que a Red Bull não é mais tão superior em corrida (em treino ainda acredito que tenha vantagem). A Ferrari tem ritmo bastante similar nas provas e, pelo jeito, a McLaren chegou forte também. Como a próxima corrida, na Hungria, é totalmente diferente em termos de clima e circuito, vai ser um belo termômetro para sabermos o quanto disso foi virtual, dadas as condições de Nurburgring.

2 comentários:

Marcos Antônio disse...

foi uma bela corrida e como você disse é uma pena que o campeonato já esteja definido. mas teremos bons duelos até o final, isso é certo!

Ron Groo disse...

Foi merecido... Como teria sido se Alonso vencesse.
Foi uma corrida daquelas.