sábado, 24 de janeiro de 2009

Carros da História: Tyrrell 022


Ficha técnica:
Motor: Yamaha V10
Fornecedor de Combustível: BP
Óleo: BP
Câmbio: Tyrrell, 6 Marchas, Semi-automático
Projetista: Harvey Postlethwaite
Freios: Disco de fibra de carbono, pinças AP
Rodas: OZ
Pneus: Goodyear

Desde 1991 a Tyrrell vinha enfrentando dificuldades, além das duplas de pilotos que não eram aquilo que você possa chamar de competente os dois carros antecessores não eram tão rápidos e tinham varios problemas.

Para 1994 Tyrrell chama um grande nome da F1 para projetar seu carro, Harvey Postlethwaite, que incluia em seu curriculo uma passagem pela Ferrari (1981-1987) e outra na Sauber, verdade que antes da F1, mas ele foi um dos responsáveis pelo bom 1° ano do time suiço na F1.

A dupla de pilotos eram o japonês Ukyo Katayama que vinha com o N° 3 (e diga-se de passagem com a maior parte do dinheiro), e já havia corrido no time de Ken em 1993, e o inglês ex-Ligier Mark Blundell que estampava em seu carro o N° 4.

Bom que se diga: acho esse um carro histórico pois esse foi o último carro da Tyrrell que deu real condições de pontuar a seus pilotos, e inclusive acabou o ano na frente da Sauber.

O ano começa muito bem para a Tyrrell que tem já no Brasil seus primeiros pontos somados por Katayama, no 5° lugar depois de ter largado em 10°. Blundell não se da bem, e bate na volta 21 na Junção.

Primeiros pontos na carreira de Katayama logo na estréia do novo carro
Em Aida problemas para ambos os carros, Blundell roda na confusão da primeira curva e Katayama para na volta 42 com o motor Yamaha quebrado. O destaque desse GP vai para um patrocínio no mínimo interessante no carro, o comitê de organização da copa do mundo de 2002 (hehe, o tempo passa!) no Japão, lançava a candidatura na época e usou os carros da Tyrrell para divulga-la apartir desse GP.

Veja acima o logo da campanha
No fim de semana mais negro da história da F1 em San Marino mais um trunfo para a equipe que fatura um 5° lugar com Katayama e mais 2 pontos no mundial. Blundell chega em 9°. Em Mônaco prova ruim, Katayama quebra o câmbio e Blundell o motor duas voltas depois.

Na Espanha a melhor a tuação do ano para o time, se aproveitando do grande número de abandonos na prova, 15, principalmente à sua frente, Blundell garante um pódio para Tyrrell (o 1° desde o GP do Canadá de 1991 com Modena) no 3° lugar da corrida. Katayama quebra o motor. No Canadá Katayama abandona e Blundell roda na última volta.

Blundell vai bem na Espanha e consegue o último pódio da Tyrrell na história
Na França Mark chega em 10°, a 5 voltas do vencedor Schumacher e Katayama estraga uma ótima chance de pontuar rodando em cima do óleo de Hakkinen na volta 53 quando ocupava a 5° posição. Na Inglaterra Blundell abandona sem câmbio na volta 20 e Katayama se aproveitando da desclassificação de Schumacher marca 1 ponto no 6° lugar.

Na Alemanha o time aproveitando o rendimento do bom motor Yamaha se classifica nos treinos em 5 e 7 respectivamente com Ukyo e Mark. A prova é um revés para o time, Blundell fica no grande acidente na primeira curvae Katayama que estava em 3° abandona na 6ª volta com problemas no acelerador.

Azar de Katayama: abandono na Alemanha acabou com a melhor chance que ele teve de ir ao pódio na vida
Na Hungria Katayama bate com Irvine e Barrichello na primeira volta, mas Blundell consegue um excelênte 5° lugar. Na Bélgica Katayama quebra, mas Blundell novamente chega em 5° sobrevivendo a um acidente com Coulthard no final da prova.

Em Monza ambos rodam, Blundell na volta 39 e Ukyo 6 voltas depois. Em Estoril o câmbio de Katayama quebra estrangando uma boa oportunidade de pontuar. Blundell também abandona. No GP da Europa em Jerez, os dois acabam o prova mas não pontuam, Blundell é 13° e Katayama bate na trave em 7°.

No caótico GP do Japão o herói local Ukyo bate após aquaplanar na reta dos boxes na 3ª volta e Blundell também abandona com motor quebrado na volta 26. Na Austrália encerrando o mundial, ambos também abandonam.

Veja o desempenho do carro ao longo do ano:
Brasil: 2 pts - 2 pts
Pacífico: 0 - 2 pts
San Marino: 2 pts - 4 pts
Mônaco: 0 - 4 pts
Espanha: 4 pts - 8 pts
Canadá: 0 - 8 pts
França: 0 - 8 pts
Inglaterra: 1 pt - 9 pts
Alemanha: 0 - 9 pts
Hungria: 2 pts - 11 pts
Bélgica: 2 pts - 13 pts
Itália: 0 - 13 pts
Portugal: 0 - 13 pts
Europa: 0 - 13 pts
Japão: 0 - 13 pts
Austrália: 0 - 13 pts = 7 lugar entre os construtores

Mark Blundell acaba a temporada em 12° no campeonato com 8 pontos e Ukyo Katayama fecha 1994 com 5 pontos em 17°.

3 comentários:

Felipão disse...

Belíssimo histórico. E o já falecido Postlethwaite, que, com sua morte cancelou a primeira entrada da Honda na f1...

Marcos Antônio Filho disse...

Eu gostei da Tyrrell de 1995. A que o Alesi dirigiu tb era show.E katayama,o maior jardineiro da F1,sempre vejo o mato dos circuitos altos depois que ele se foi...rs

Regys Silva disse...

022 detonou em 1994......era bastante rápido e o dr.postlethwaite acertou a mão de novo,lembrando que os 018(1989) e o 019(1990) tinham ido muito bem eram projetos dele.infelizmente a fiabilidade ñ ajudou...mas se comparado com 1993......GO TYRRELL GO!!!